Santos FC comemora 50 anos do Supercampeonato Mundial no Memorial das Conquistas

Santos FC comemora 50 anos do Supercampeonato Mundial no Memorial das Conquistas

O Santos Futebol Clube comemorou e homenageou, nesta terça-feira (25), os responsáveis por uma conquista única na história do futebol: o Supercampeonato Mundial de 1969. O evento, realizado no Memorial das Conquistas “Milton Teixeira”, teve como representantes do esquadrão que conquistou este troféu em San Siro, diante da Internazionale (ITA), os ex-atletas Edu, Clodoaldo, Abel, Negreiros, Manoel Maria e Marçal. A história deste confronto contra os italianos, que rendeu ao Peixe a taça da única edição da Recopa Mundial, pode ser consultada neste texto. Confira aqui as fotos.

Odir Cunha, responsável pela promoção do evento, ressaltou o peso desta conquista, além de valorizar seus heróis. “Este evento é muito importante por nos dar a oportunidade de homenagear atletas que foram essenciais na história do Santos FC e nem sempre são reconhecidos, lembrados. Sobre a conquista, sua importância é evidente. Participaram apenas equipes campeãs do mundo, sendo as da América do Sul Santos FC, Peñarol e Racing – o Santos FC saiu campeão desse triangular em dois turnos. Já na Europa o Real Madrid, que não jogou, e a Internazionale, sendo então bicampeã da Europa e representante do continente. Vencemos o jogo em Milão por 1 a 0 e a partida de volta não foi realizada, em reconhecimento da Internazionale sobre a grande superioridade santista. Assim, fomos campeões”.

Edu lembrou que nem deu para comemorar o tricampeonato Paulista, já que o elenco logo viajou para enfrentar a Internazionale. “Ganhamos o tri do estadual e já fomos para o aeroporto. Estávamos cansados, mas muito focados. Joguei de centroavante, e o Abel, aqui presente, voltava um pouco para a marcação. Deitamos e rolamos”, disse, para aplausos dos presentes. Clodoaldo, que jogou no meio de campo com Negreiros, presente no evento, relembrou o gol contra o Peñarol, no triangular de dois turnos. “A conquista representou um feito muito grande para nós, que éramos muito jovens. Foi um incentivo para que a gente pudesse atingir um pedestal mais alto, a Seleção Brasileira”. No ano seguinte a esta conquista, em 1970, Corró seria campeão mundial com a seleção Canarinho, no México.

Reserva no jogo desta conquista, Manoel Maria lembrou do orgulho que foi vestir a camisa do Peixe. “Fui muito feliz. Falar do Santos FC, das conquistas, da alegria… fomos muito felizes. Nós, ex-jogadores, nos amamos e nos respeitamos. Conheço o mundo por conta de minha história do Santos FC. Passamos por tantas histórias… Pelé expulso, torcida expulsando o árbitro, o milésimo gol, a conquista que hoje comemoramos. É tudo isso que fica na nossa memória. Foi uma grande honra. Casei em Santos, meus filhos são santistas. Agradeço muito e sempre ao Santos FC”.

Os produtos oferecidos aos ídolos do Peixe ao longo do evento, réplicas idênticas aos mantos utilizados no jogo decisivo, foram disponibilizados pela empresa Athleta, em parceria com o Santos FC.

(Fotos: Pedro Ernesto Guerra Azevedo)