Um duelo alvinegro de muita história

Um duelo alvinegro de muita história

Odir Cunha, do Centro de Memória
Estatísticas por Gabriel Santana e Guilherme Guarche

No futebol os resultados anteriores são pouco mais do que uma referência, mas não podem ser descartados. Em 42 partidas contra a Ponte Preta na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista, o Santos venceu 29. Ocorreram, ainda, sete empates e apenas seis derrotas.

Nesses confrontos jogados no Urbano Caldeira saíram 153 gols, dos quais 111 (72%) santistas e 42 (28%) pontepretanos. Quando se analisa todos os jogos entre o Alvinegro Praiano e o do Interior, percebe-se um desequilíbrio menor: em 132 partidas, o Santos venceu 73 (55%), perdeu 33 (25%) e ocorreram 26 empates. Dos 401 gols marcados, 251 foram santistas (62%) e 150 (38%) pontepretanos.

Em três eliminatórias, 2 a 1 para o Santos

Santos e Ponte Preta já se defrontaram em três jogos eliminatórios pelo Campeonato Paulista e, curiosamente, mesmo sendo eliminado na disputa de pênaltis em 2017, a verdade é que no tempo normal o Alvinegro Praiano venceu os três confrontos.

Em 2011, com um time que seria campeão, nas quartas de final o duelo foi na Vila Belmiro e o Santos venceu por 1 a 0, com um golaço de Neymar aos 21 minutos de jogo.

Três anos depois, em 2014, novamente na Vila e também pelas quartas, o triunfo santista foi mais folgado. Cícero marcou aos 21 minutos do primeiro tempo. Geuvânio, aos quatro; Gabriel, aos 15, e Diego Cardoso, aos 34, completaram na segunda etapa os 4 a 0 finais.

Na última eliminatória entre ambos, em 2017, a Ponte venceu por 1 a 0 em Campinas, o Santos devolveu o marcador em uma noite de segunda-feira em que o Pacaembu recebeu 37.145 torcedores, mas acabou sendo eliminado nas cobranças de pênaltis.

Ironicamente, o zagueiro David Braz, autor do belo gol da vitória, em um voleio aos 15 minutos do primeiro tempo, acabou sendo o único a perder a cobrança de pênalti, o que definiu a eliminação santista.

Além dessas três eliminatórias, os dois alvinegros participaram de outras duas menos importantes no longo Campeonato Paulista de 1978: o Santos venceu a semifinal do primeiro turno por 1 a 0, com gol de Ailton Lira, e perdeu a semifinal do segundo turno por 2 a 1. Mas o que valia mesmo era o terceiro turno, que acabou dando ao Santos o seu décimo quarto título paulista.

Artilheiros santistas do confronto

1 – Pepe, 14 gols.
2 – Pelé, 11 gols.
3 – Tite, 8 gols.
4 – Coutinho e Vasconcelos, 7 gols.

Último desafio na Vila

Santos 3 x 1 Ponte Preta
Campeonato Brasileiro
16 de julho de 2016, sábado
Renda e público: R$ 364.360,00, 11.979 torcedores

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Vitor Bueno e Lucas Lima (Elano); Gabriel (Vecchio) e Ricardo Oliveira (Rodrigão). Técnico: Dorival Júnior.

Ponte Preta: João Carlos, Nino Paraíba, Fábio Ferreira, Grolli e Reinaldo; Maycon, Matheus Jesus (Felipe Menezes), Wendel e Clayson (Giva); Rhayner e Willian Pottker (Roger). Técnico: Eduardo Baptista.

Gols: Victor Ferraz aos 20 minutos do primeiro tempo; Vitor Bueno aos 12, Gabriel aos 26 e Roger aos 39 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Marielson Alves Silva.
Cartões Amarelos: Thiago Maia, Gabriel e Zeca (Santos); Willian Pottker e Wendel (Ponte).