Santos x Bragantino, essa estreia tem história

Santos x Bragantino, essa estreia tem história

Por Odir Cunha, do Centro de Memória
Estatísticas por Guilherme Guarche

O Brasil quer ver esse jogo. De um lado, o vice-campeão brasileiro, que em sua última partida oficial goleou o Flamengo por 4 a 0 nessa mesma Vila Belmiro e este ano traz como grande novidade o técnico português Jesualdo Ferreira, mestre de tantos técnicos renomados. Do outro, o Bragantino, um alvinegro com um título paulista e um vice brasileiro, agora com um patrocínio forte e sonhos arrojados.

Nos duelos mais importantes que tiveram até aqui, pelas semifinais do Campeonato Paulista de 2007, ocorreram dois empates sem gols em jogos duríssimos, no Pacaembu e no Morumbi. Por ter melhor campanha, o Santos, treinado por Vanderlei Luxemburgo, acabou se classificando para a final contra o São Caetano, decisão que daria ao Alvinegro Praiano o seu 17º título paulista.

O time da segunda partida jogou com Fábio Costa, Pedro, Adailton, Antonio Carlos e Kleber; Rodrigo Souto, Maldonado, Cléber Santana (Marcelo) e Zé Roberto; Jonas (Pedrinho) e Marcos Aurélio (Rodrigo Tiuí). Um dos destaques da equipe foi o goleiro Fábio Costa, autor de no mínimo três defesas à queima-roupa.

De lá para cá foram jogadas nove partidas e o Santos venceu nove, empatou duas e perdeu duas, uma delas na Vila Belmiro. Essa derrota ocorreu no Paulista de 2018, em que o time dominou a partida, teve um gol mal anulado e acabou perdendo por 1 a 0. Em compensação, nesse período o Alvinegro Praiano impôs três goleadas no rival: 6 a 3 em 2010, 5 a 0 em 2014 e 4 a 1 em 2019, sempre pelo Campeonato Paulista.

Na Vila Santos tem 84,6% de vitórias

Retrospecto passado não é garantia de sucesso futuro, mas em 13 jogos do Campeonato Paulista jogados na Vila Belmiro o retrospecto do Santos é espetacular: foram 11 vitórias, ou 84,6% do total, um empate e uma derrota (aquela de 2018), com 33 gols marcados e oito sofridos.

Somando-se os jogos pelo Campeonato Paulista disputados em Bragança, chega-se a um total de 29 partidas, com 16 vitórias do Santos, oito empates e cinco derrotas, 55 gols a favor e 29 contra.

Incluindo-se todos os jogos, oficiais ou não, chega-se a 39 partidas, com 20 vitórias do Santos, oito do Bragantino e dez empates, 73 gols do Alvinegro Praiano e 41 do alvinegro de Bragança.

Há 62 anos o primeiro duelo

Fundado em 8 de janeiro de 1928, o Bragantino comemorava 30 anos de vida quando convidou o Santos para um amistoso, jogado em um domingo, onze dias após o seu aniversário, no Estádio Marcelo Stefani, em Bragança Paulista.

Arbitrado pelo conhecido João Etzel, o jogo serviu para o técnico Lula fazer experiências no time que se preparava para a vitoriosa temporada de 1958 e que naquele dia jogou com Manga, Dalmo, Getúlio, Fioti e Brauner (Feijó); Urubatão e Jair Rosa Pinto (Afonsinho); Dorval (Alfredinho), Pagão (Guerra), Pelé (Ciro) e Tite (Pepe).

O garoto Pelé, ainda com 17 anos, marcou logo a um minuto de jogo e isso, segundo o jornal paulistano Folha da Noite, “desorientou bastante os locais”. Tite ampliou aos 30 minutos. No segundo tempo, Pepe, que entrou no lugar de Tite, fez o terceiro aos 6 minutos; Zeca diminuiu aos 16 e Guerra completou o marcador de 4 a 1 aos 27 minutos.

Para a Folha da Noite a “apresentação do Santos, vice-campeão paulista de 1957, despertou grande interesse e atraiu um grande número de torcedores ao estádio”, e o Santos venceu porque “apresentou melhor jogo de conjunto e melhores valores individuais”.

Artilheiros santistas do confronto

1 – Toninho Guerreiro, 5 gols.
2 – Pelé e Jamelli, 4 gols.