Santos FC fecha parceria com ONG Missão África

Santos FC fecha parceria com ONG Missão África

Enquanto os olhos do mundo estavam voltados para o começo da Copa, a imagem de um jovem torcedor do Santos FC viralizava na internet e emocionava a nação santista. Morador de Moçambique, país localizado no sudeste da África, o garotinho de pés descalços e sujos de areia segurava inocentemente uma bola feita com retalhos, e trajava, com a sujeira e o suor daquele gosto universal pelo futebol, uma camisa do alvinegro que um dia parou uma guerra naquele mesmo continente.

João Chico, de apenas seis anos, foi clicado na comunidade de Nhahminjale por Rafaella Kalimann, embaixadora da Missão África. A ONG é responsável pelo desenvolvimento de crianças e adultos que vivem em regiões de extrema pobreza. Tão bem representado como símbolo de resistência e amor pelo esporte, o manto alvinegro utilizado pela criança também motivou o Santos Futebol Clube a aderir esta importante causa humanitária. Para as partidas contra o Palmeiras e Flamengo, válidas pelo Campeonato Brasileiro de 2018, o alvinegro mais famoso do mundo estampará em suas omoplatas a marca da ONG Missão África.

Além de registrar a marca da ONG em cima do peito, o Santos FC também doará R$ 1,00 por público pagante nestas duas partidas. Uma faixa com mensagem referente à ONG será passada antes do início e no intervalo destes dois jogos, bem como será feita também a exposição de um vídeo da ONG com imagens do Santos FC na África, fechando com a famosa imagem do jovem João Chico. E as ações não param por aí: reforçando a marca da ONG Missão África, os mascotes utilizarão camisas com suas marcas. Em suas redes sociais, o Peixe também incentivará nossos torcedores a doarem algum valor para a ONG, explicando como doar e principalmente a importância desta ação.

“A foto do menino africano com a camisa do Santos FC tocou a todos. Idealizamos uma ação que fosse efetiva em prol do trabalho da ONG Missão África que, além de darmos visibilidade à causa em dois grandes confrontos contra Palmeiras e Flamengo, mobilizasse a torcida para que tenhamos a maior doação financeira possível. O Santos Futebol Clube parou uma guerra na África. Em um continente tão simbólico e importante em nossa gloriosa história, tínhamos a obrigação de valorizar este grande gesto partindo do jovem João Chico”, cravou o Presidente José Carlos Peres.

“Contamos com nossa torcida, seja comparecendo nos dois jogos, seja em doações diretas para a Missão África que divulgaremos em nossas redes. Com estas diversas ações programadas para dois grandes jogos, pretendemos colaborar com exposição da marca e incentivos financeiros para que suas ações no continente africano sejam fortalecidas, sempre traçando um paralelo importante com a força de nossa torcida presente no estádio”, declarou Marcelo Frazão, executivo de Marketing do Santos FC.

Sobre a ONG Missão África

Dentre seus pontos de atuação, a ONG Missão África tem ações em escolas de educação infantil e programas de capacitação de profissionais na área de saúde e educação. A ONG mantém um centro nutricional para crianças desnutridas de 0 a 2 anos, levando também atendimento odontológico para a população. Desde 2012 a Missão África já realizou mais de 40 mil atendimentos médicos e mais de 5 mil atendimentos odontológicos no continente. Em parceria com Universidades e Hospitais locais, a ONG realiza também cursos de capacitação e treinamento para profissionais da saúde e da educação.

Os trabalhos da ONG Missão África ocorrem por meio de doações de pessoas da sociedade, por meio de parcerias com empresas e instituições privadas, por meio de eventos beneficentes e programas de apadrinhamento, sempre através do trabalho voluntário de centenas de pessoas. Sua missão é contribuir de forma diferenciada para o desenvolvimento do ser humano em sua totalidade, estabelecendo assim maior justiça social por meio da promoção da saúde e da educação de crianças e adultos que vivem em regiões de extrema pobreza, contribuindo para a transformação da realidade enquanto pessoa bem como da comunidade em que estão inseridos.

O jovem João Chico, de apenas 6 anos, com o manto alvinegro (Foto: Rafaela Kalimann/ONG Missão África)