Santos e Goiás, 52 anos de duelos

Santos e Goiás, 52 anos de duelos

Odir Cunha, do Centro de Memória
Estatísticas por Gabriel Santana

Desde 19 de março de 1968, em que empataram por 3 a 3, em Goiânia, Santos e Goiás já se defrontaram 53 vezes. No retrospecto geral há uma pequena vantagem santista, mas nos jogos em Goiânia o Goiás costuma se sair melhor.

Dos 53 confrontos, oficiais ou não, o Santos venceu 20 (37,7%), empatou 17 (32%) e perdeu 16 (30,3%); marcou 95 e sofreu 76 gols.

Isolados apenas os 46 jogos pelo Campeonato Brasileiro, em qualquer estádio, o Santos obteve 16 vitórias (34,8%), 16 empates (34,8%) e 14 derrotas (30, 2%), fez 76 gols e deixou passar 63.

Porém, se computados as 23 partidas jogadas em Goiânia, a situação é bem menos favorável ao Alvinegro Praiano, que venceu apenas quatro vezes (17%), empatou oito (34%) e perdeu 11 (49%); marcou 25 gols e sofreu 36.

Predomínios

A maior série invicta do confronto é do Goiás, que de 5 de maio de 1983 a 20 de julho de 1997 ficou dez jogos sem perder para o Santos, obtendo cinco vitórias e cinco empates, marcando 11 gols e sofrendo apenas três, portanto com saldo de oito gols.

Porém, nos dez duelos mais recentes, desde a vitória no Pacaembu por 2 a 0, em 28 de agosto de 2010, o Santos só perdeu uma partida para o rival, obtendo ainda oito vitórias e um empate. Nesses jogos o Alvinegro marcou 29 gols e deixou passar nove, com saldo de 20 gols.

Nas três partidas mais recentes o Santos obteve excelentes vitórias, todas pelo Campeonato Brasileiro: 3 a 1 em 18 de outubro de 2015, na Vila Belmiro; 6 a 1 em 4 de agosto de 2019, também na Vila (essa é a maior goleada do confronto), e 3 a 0 em 9 de novembro de 2019, no Estádio Serra Dourada.

Show de Soteldo

O encontro de novembro do ano passado, no Serra Dourada, representou uma das melhores exibições do Santos no Brasileiro de 2019. Com atuação assombrosa do venezuelano Yeferson Soteldo, que marcou dois gols e fez a jogada do gol de Marinho, o Santos derrotou por 3 a 0 um adversário que jogava em casa e era o quinto colocado do campeonato.

Treinado por Jorge Sampaoli, o Alvinegro jogou com Éverson, Victor Ferraz, Luan Peres, Lucas Veríssimo e Jorge; Alison (Felipe Jonatan), Carlos Sánchez, Jean Mota (Diego Pituca) e Eduardo Sasha; Marinho (Taílson) e Soteldo.

O Goiás, dirigido por Ney Franco, jogou com Tadeu, Breno, Fábio Sanches, Rafael Vaz e Jefferson (Alan Ruschel); Gilberto Júnior, Léo Sena (Papagaio), Yago Felipe (Kaio) e Thalles; Barcia e Michael.

Novo estádio, nova história

Neste domingo, às 18h15, Santos e Goiás se enfrentarão pela primeira vez no Estádio Hailé Pinheiro, o Serrinha, que é o estádio oficial do Goiás, mas não era usado no Campeonato Brasileiro por comportar nove mil espectadores.

Localizado em um bairro nobre da cidade de Goiânia, a sede da Serrinha foi adquirida pelo Goiás Esporte Clube na década de 1960 e o estádio construído em 1995. Modernizado em 2013, o complexo ganhou novos vestiários, sala de imprensa e um gramado padrão Fifa. As obras de ampliação das arquibancadas começaram em julho de 2018.

Primeira partida pelo Brasileiro – Santos 0 x 0 Goiás  
17/10/1973 – Estádio Pedro Ludovico

Última partida pelo Brasileiro – Santos 3 x 0 Goiás
09/11/2019 – Serra Dourada
Gols: Soteldo (2) e Marinho

Artilheiros santistas no confronto (tanto no geral, como pelo Brasileiro)
1 – Nenê Belarmino, Ricardo Oliveira e Soteldo, quatro gols.
4 – Neymar, três gols.