Santos e Flamengo, as duas faces de um duelo centenário

Santos e Flamengo, as duas faces de um duelo centenário
Odir Cunha, do Centro de Memória
Estatísticas por Gabriel Santana

A cada vez que se encontram, como farão neste domingo à tarde, na Vila Belmiro, Santos e Flamengo põem em campo os dois fatores principais do chamado “peso” de uma camisa de futebol: a História e a torcida.

Com oito títulos brasileiros, três Copas Libertadores e dois Mundiais, além de dezenas de torneios pelos cinco continentes e uma lista infindável de ídolos incomparáveis, como Gylmar, Mauro, Zito, Pelé, Pepe, Edu, Carlos Alberto, Clodoaldo, Robinho, Neymar e tantos outros, não há como não colocar o Alvinegro Praiano no topo de todas as listas quando se fala de currículo no futebol.

O rubro-negro, por sua vez, tem hoje a maior massa de torcedores do Brasil. Esse privilégio já foi do Santos no final dos anos 60, segundo uma pesquisa do Ibope de 1969, mas atualmente, no País, a primazia é do Flamengo.

O Santos prossegue como o time brasileiro mais conhecido e com mais torcedores no Exterior. Cerca de 1,1 milhão de pessoas o escolheram em uma enquete mundial de 2017 feita pelo Facebook. O Flamengo apareceu em segundo, empatado com o Corinthians, ambos com 700 mil adeptos.

Assim como Pelé continua sendo uma das maiores referências do Brasil, hoje o nome do Menino da Vila Neymar é o mais citado por estrangeiros quando inquiridos sobre personalidades brasileiras. Enfim, é história para não acabar mais.

No campo, a vantagem é santista

No dia 4 de julho deste ano comemorou-se um século do primeiro jogo entre os times, também realizado em um domingo na Vila Belmiro. O Flamengo já tinha sido bicampeão carioca em 1914/15 e seria novamente bi em 1920/21, enquanto o Santos, com apenas oito anos de vida, ainda não ostentava títulos expressivos. Mas o jogo foi marcante. Não deixe de ler detalhes sobre ele, mais abaixo.

Pois desde aquele primeiro confronto até hoje Santos e Flamengo já se enfrentaram 126 vezes, com 47 vitórias alvinegras, 35 empates e 44 derrotas; 188 gols marcados pelo Peixe e 168 pelo adversário.

Na Vila Belmiro eles fizeram 35 jogos, com 21 vitórias santistas (60%), nove empates (26%) e cinco derrotas (14%). No aconchegante Estádio Urbano Caldeira o Santos marcou 82 gols e sofreu 43.

Dos 17 jogos na Vila Belmiro pelo Campeonato Brasileiro o Santos venceu mais do que a metade (nove), empatou seis e perdeu dois; marcou 33 gols e sofreu 12.

Somados todas as 74 partidas que fizeram pelo Brasileiro, em qualquer estádio, o equilíbrio é quase absoluto, com 25 vitórias santistas, 23 empates e 26 derrotas. O Alvinegro marcou 85 gols e sofreu 75.

A primeira vitória ninguém esquece

Como foi anunciado acima, Santos e Flamengo jogaram pela primeira vez há 100 anos, em um domingo, 4 de julho de 1920. O Santos vinha de uma derrota de 3 a 2 para o forte Palestra Itália (atual Palmeiras), pelo Campeonato Paulista, enquanto o Flamengo liderava o campeonato carioca. O jornal Correio Paulistano anunciou desta forma o amistoso interestadual:

No belo campo da Vila Belmiro realiza-se hoje mais uma prova interestadual de futebol, em que são contendores as valorosas equipes do Santos F. C. e Club de Regatas Flamengo. O grêmio carioca já é bastante conhecido em São Paulo, por quanto ainda há pouco teve oportunidade de evidenciar a sua magnífica técnica de conjunto e que deixou uma excelente impressão em nossos sportsmen.

Bem, para encurtar a história, no dia seguinte o mesmo Correio Paulistano, sob o título “O Santos F. C. vence brilhantemente o Club de Regatas Flamengo”, escreveu o seguinte:

O quadro do club paulista mostrou manifesta superioridade sobre os rivais, marcando a sua homogenia linha dianteira seis belíssimos pontos, que foram conquistados três no primeiro período do match, e o restante na fase final.

Sim, o primeiro jogo entre Santos e Flamengo, realizado há um século, terminou 6 a 0 para o Alvinegro Praiano e até hoje continua sendo a maior goleada do clássico. Naquele domingo festivo Ary Patusca marcou dois gols; Castelhano mais dois; Arnaldo Silveira e Constantino marcaram um gol cada.

O Santos jogou com Tuffy, Cícero e Bilú; Pereira, Marba e Ricardo; Adolpho Millon, Costantino, Ary Patusca, Castelhano e Arnaldo Silveira. O Flamengo atuou com Kuntz; Sisson e Telefone; Dourado, Sidney Pullen e Japonês; Machado, Galvão Bueno, Choco, Geraldo e Junqueira. Odilon Penteado foi o árbitro.

Segundo o jornalista e historiador Adriano Neiva, o De Vaney, autor do “Álbum de Ouro”, que traz a história do Santos desde a fundação do clube até meados dos anos 60, diante do pedido de explicações da diretoria do clube carioca, o chefe da delegação do Flamengo na viagem explicou assim a derrota para o Santos:

Perdemos em Santos como qualquer quadro do mundo poderia perder. Tivemos pela frente uma equipe verdadeiramente formidável, e que jogou um futebol de primeiríssima categoria. Devemos confessar, lisamente, que os 6 x 0 foram um presente dos céus, porque pelo andamento que o Santos imprimiu ao jogo, a goleada deveria ter se caracterizado por números muito mais altos (Álbum de Ouro, página 123).  

Primeiro jogo pelo Brasileiro
Santos 4 x 1 Flamengo
16/12/1964 – Pacaembu. Gols: Pelé (3) e Coutinho.

Primeiro jogo na Vila Belmiro pelo Brasileiro
Santos 0 x 0 Flamengo – 19/09/1990

Artilheiros santistas no confronto
1 – Pelé, 12 gols.
2 – Dodô, sete gols.
3 – Pepe, cinco gols.

Artilheiros santistas no confronto pelo Brasileiro
1 – Pelé e Neymar, quatro gols.
3 – Edu, Robert, Robinho, Serginho Chulapa e Viola, três gols.