Sánchez relembra primeiro gol pelo Santos FC e espera ‘menos sofrimento’ contra o Athletico-PR

Sánchez relembra primeiro gol pelo Santos FC e espera ‘menos sofrimento’ contra o Athletico-PR

Carlos Sánchez já balançou as redes em 16 oportunidades com a camisa do Santos FC. E a primeira ‘vítima’ do uruguaio foi o Athletico-PR, adversário do Peixe neste domingo (8), às 16h, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019.

No dia 30 de setembro de 2018, o Alvinegro Praiano ia empatando em 0 a 0 com o Furacão, na Vila Belmiro, até os 51 minutos do segundo tempo, quando Sánchez cobrou pênalti na gaveta e decretou o triunfo santista na raça. Na ocasião, o Santos FC chegou aos 36 pontos na 27ª rodada e se afastou bastante do Z4, chegando ao oitavo lugar.

“Me lembro muito bem. É uma boa recordação que guardo, pois é lindo relembrar meu primeiro gol com essa camisa. Foi muito emocionante pelo momento do jogo e também pela maneira como estávamos na tabela, pois vínhamos brigando para deixar a parte de baixo e aquela vitória foi importante para sair de perto da zona de rebaixamento”, relembrou o camisa 7.

Sánchez é o artilheiro do Peixe na temporada, com 12 gols marcados (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)

Pouco menos de ano um depois, o Peixe vive situação totalmente inversa. Com os mesmos 36 pontos de 2018, mas com nove rodadas a menos na tabela, o alvinegro divide a liderança da competição com o Flamengo.

Apesar do momento bem melhor, Sánchez não quer ver a equipe comandada por Jorge Sampaoli relaxada dentro de campo e admite que prefere evitar o sofrimento de fazer o gol da vitória apenas no último minuto de jogo.

“Poder marcar antes seria melhor, né? Para termos mais tranquilidade dentro da partida. Mas sabemos que o Athletico tem um grande time, que já vem trabalhando junto há muito tempo. Temos consciência da nossa responsabilidade e vamos sempre buscar fazer o melhor dentro de campo para seguir lutando pela liderança. Se eu marcar de novo contra eles será lindo, mas se um outro companheiro fizer e sairmos com os três pontos, o sentimento de alegria será o mesmo”, concluiu Carlos Sánchez.