Rivalidade de tabus e pedaladas

Rivalidade de tabus e pedaladas

Por: Odir Cunha

Também denominado “Clássico Alvinegro”, Pelé chama o duelo entre Santos FC e Corinthians de “O Grande Jogo”, e há bons motivos para considerá-lo assim. Primeiro clássico de São Paulo, jogado desde 22 de junho de 1913, quando o Santos FC, treinado por Urbano Caldeira, goleou o rival por 6 a 3 no campo do Parque da Antárctica Paulista, este é o confronto paulista que mais vezes ultrapassou a marca de 100 mil espectadores – nada menos do que sete! –  que apresentou o maior tabu entre dois times grandes do futebol brasileiro e viu o maior número de gols de Pelé, entre outras primazias.

Todos conhecem o tabu de 11 anos – de 1957 a 1968 – que o Santos FC ficou sem perder do rival. Poucos se recordam, entretanto, de um tabuzinho logo no início dessa história, pois o Alvinegro Praiano passou os seis primeiros jogos oficiais sem ser derrotado pelo alvinegro da capital, o que só ocorreu no segundo turno do Campeonato Paulista de 1919.

Além de ser o primeiro time a perder para o Santos FC no Campeonato Paulista – o já citado 6 a 3 de 1913 –, o Corinthians também foi o primeiro a ser derrotado em uma decisão do Estadual, pois em 17 de novembro de 1935, mesmo jogando no seu campo, o Parque São Jorge, caiu inapelavelmente diante do Alvinegro Praiano por 2 a 0, gols de Raul e Araken, decisão que atraiu um público de 18 mil pessoas, espetacular para a época.

Há muitas coincidências nesse clássico. Em 1984 o Santos FC não só saiu de uma pequena fila de cinco anos sem títulos paulistas, como impediu o adversário de conseguir o tricampeonato estadual. Serginho fez o gol solitário da partida que atraiu 111.345 torcedores ao Morumbi. Em 2002 o Santos voltaria a ser campeão brasileiro após uma espera de 34 anos ao bater o rival duas vezes, no Morumbi (2 a 0 e 3 a 2), oportunidade que entrou para a história como a decisão das oito pedaladas de Robinho sobre Rogério.

Como se sabe, Pelé é o jogador que mais gols marcou no Corinthians: foram 50, sem contar mais um feito no primeiro tempo de um jogo que acabou cancelado. Robinho também manteve uma boa margem de vitórias sobre o tradicional adversário.

Santos FC tem saldo no século XXI, mas não marcou no Itaquerão

De 64 jogos realizados neste século, o Santos FC venceu 28, perdeu 21 e empatou 15, portanto tem um saldo positivo de sete vitórias a mais. As gerações de Robinho e Neymar explicam essa supremacia.

O Santos FC já derrotou o adversário em seu estádio atual, derrotando-o por 2 a 1 pela Copa do Brasil, em agosto de 2015, mas em jogos do Campeonato Brasileiro o Alvinegro Praiano ainda não marcou no Itaquerão. Em quatro jogos perdeu todos e sofreu seis gols.

Os historiadores do Centro de Memória do Santos FC, Guilherme Gomez Guarche e Gabriel Santana, lembram que até agora os dois times já se enfrentaram 325 vezes, com 104 vitórias santistas, 130 derrotas e 91 empates. O Santos marcou 498 gols e sofreu 578.

Ainda segundo Gomez e Santana, em jogos apenas pelo Campeonato Brasileiro o Santos FC venceu o clássico 21 vezes, perdeu 23 e empatou 18, marcando 79 gols e sofrendo 81.

Maiores artilheiros santistas do Clássico Alvinegro

1 – Pelé, 50 gols.

2 – Coutinho, 13 gols.

3 – Pepe, 12 gols.

4 – Feitiço, Odair e Vasconcelos, 9 gols.

7 – Camarão, Guga e Antoninho, 8 gols.

10 – Araken Patusca, 7 gols.