Que trem é esse?

Que trem é esse?

Por: Odir Cunha

O Santos estreia no Campeonato Paulista neste sábado, às 17 horas, contra a Ferroviária, e o técnico Jorge Sampaoli deve estar se perguntando que adversário é esse, que em plena década de 60 goleou o Alvinegro Praiano na Vila Belmiro por 4 a 0, em 1960, e 5 a 1, em 1963.

Tudo bem que já se passaram mais de 60 anos desses revezes lembrados com orgulho pela torcida do time interiorano, e nos 73 jogos entre ambos, 69 deles pelo Campeonato Paulista, o Santos venceu 39, empatou 19 e perdeu 15, marcando 136 gols e sofrendo 73.

Se isolarmos apenas as partidas jogadas na Vila Belmiro pelo Campeonato Paulista, teremos 38 confrontos, com 25 vitórias santistas, 10 empates e apenas três da Ferroviária, com 86 gols do Santos e 34 do adversário.

Entretanto, depois de uma interminável sequência de vitórias neste duelo que começou em 7 de setembro de 1954 – quando o Santos goleou a Ferroviária por 5 a 2 em um amistoso no Estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara –, a verdade é que nos dois últimos anos o Alvinegro Praiano não conseguiu derrotar o rival.

Em 18 de fevereiro de 2017 o Santos perdeu por 1 a 0 em plena Vila Belmiro e em 10 de fevereiro de 2018 empatou por 2 a 2 em Araraquara. Neste sábado o Santos de Sampaoli tentará mudar essa história.

Campeão paulista por antecipação

Guilherme Gomez Guarche

No dia 13 de dezembro de 1961, o Santos se sagrava campeão paulista pela sexta vez ao derrotar a equipe conhecida por seus adeptos como “Locomotiva” pelo placar de 6 a 2, em partida realizada no estádio Urbano Caldeira, diante de um público de 23.319 espectadores.

Essa goleada teve um certo sabor de desforra, já que o time interiorano era uma espécie de “pedra no sapato” do Santos. Campeão por antecipação com essa vitória, o Santos jogou com Laércio, Lima, Mauro e Dalmo; Calvet e Zito; Dorval, Tite, Coutinho (Pagão), Pelé e Pepe. O técnico era Luiz Alonso Perez, o Lula. Os gols santistas foram marcados por Pelé (2), Pepe (2), Tite e Pagão.

No time da Ferroviária jogavam verdadeiros craques que nos anos seguintes se consagrariam no futebol paulista, tais como: Parada, Dudu, Bazzani e também Ismael, Peixinho e Melão, que depois jogariam no Santos.

No primeiro turno do campeonato do ano anterior, o time araraquarense venceu o Alvinegro pelo placar de 4 a 0, e essa vitória foi muita comemorada pelos torcedores da “Ferrinha”, pois o Peixe jogou e perdeu com seu time completo (no segundo turno, porém, o Santos desforrou e goleou na Vila Belmiro por 5 a 0).

7 a 2, a maior goleada

Em um sábado de festa na Vila Belmiro, 11.557 pessoas pagaram para ver o jogo daquele 15 de setembro de 1962, ano do cinquentenário santista. Válido pelo primeiro turno do Campeonato Paulista, o jogo foi arbitrado por Eunápio de Queiroz e os times jogaram assim:

Santos: Gylmar, Dalmo, Olavo e Hemílton; Zito e Calvet; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe.

Ferroviária: Toninho; Perci, Antoninho e Zé Maria; Geraldo e Rodrigues; Davi, Peixinho, Parada, Bazzani e Beni.

Jogo aberto, cinco atacantes de cada lado, espetáculo garantido. Lima marcou aos 10 minutos; Calvet, contra, empatou para a Ferroviária; Pepe desempatou aos 18 minutos e Pelé marcou aos 20 e 58, com o primeiro tempo terminando 4 a 1 para o Santos.

Na segunda etapa, Parada diminuiu aos 16 minutos, mas Pelé aos 30, Coutinho aos 36 e Pelé aos 38 deram, como diriam os locutores de rádio da época, “números finais ao marcador”.

Artilheiros santistas do confronto
1 – Pelé, 23 gols.
2 – Pepe, 9 gols.
3 – Giovanni, 7 gols.
4 – Toninho Guerreiro, 6 gols.