Que jogo foi esse?

Que jogo foi esse?

Por Guilherme Guarche, do Centro de Memória

Uma das mais lembradas partidas do Santos, em sua centenária história, ocorreu no final de tarde, início de noite, de 10 de dezembro de 1995, na semifinal do Campeonato Brasileiro. Naquele domingo o time capitaneado por Alexandre Gallo venceu o Fluminense, no Pacaembu, por 5 a 2, numa jornada cheia de lances surreais.

Mesmo desfalcado dos titulares Jamelli e Vagner, mas com Giovanni, o “Messias” jogando sua melhor partida com a camisa do Santos, o time – que havia sido derrotado no Maracanã por 4 a 1 – conseguiu a façanha de superar o Fluminense pela diferença de três gols, classificando-se para a final do Campeonato Brasileiro, o que não acontecia desde 1983.

Desde o início o Santos partiu para cima do adversário, disposto a conseguir a vitória a qualquer custo. Depois de criar boas chances, aos 25 minutos Camanducaia foi derrubado na área e Giovanni cobrou com maestria para abrir o marcador (uma imagem marcante é aquela em que o “Messias” pega a bola dentro do gol e a leva até o meio do campo para recomeçar a partida).

O camisa 10 do Peixe tomou para a si a responsabilidade do jogo. Aos 29 minutos driblou o marcador na matada e, da entrada da área, chutou de bico por cima do goleiro Welerson, marcando o segundo tento do Alvinegro e repetindo o gesto de ir ao fundo da meta buscar a bola, para explosão da torcida santista no Pacaembu.

Energia das arquibancadas

O primeiro tempo terminou 2 a 0. Então, no intervalo, ocorreu algo jamais visto em jogos do Campeonato Brasileiro. Por ordem do técnico Cabralzinho, os jogadores e a comissão técnica não desceram para o vestiário. Permaneceram em campo, ouvindo as orientações do técnico e sentindo a vibração da torcida, que não parou de cantar.

No começo da etapa complementar, Giovanni, sempre ele, achou Macedo na entrada da grande área e o rápido camisa sete marcou o terceiro gol do Alvinegro da Vila Belmiro, para delírio da galera ensandecida que vibrava sem parar nas arquibancadas do Pacaembu. O time atingia o objetivo vencer por três gols de diferença, o que lhe daria um lugar na decisão do campeonato.

Só que dois minutos depois há uma falta na entrada da área santista e no bate-rebate Rogerinho marca de cabeça o primeiro tento do tricolor carioca. O Santos não se abate com o gol sofrido e aos 16 minutos, em nova jogada de Giovanni – que ganha na corrida do zagueiro Alê e divide com o goleiro –, a bola sobra para Camanducaia, que faz 4 a 1.

O velho Pacaembu treme. O Peixe repetia o placar que havia sofrido no Maracanã. A torcida já pensava na decisão do campeonato quando o zagueiro santista Ronaldo Marconato é expulso e a tensão recomeça. Mas Giovanni ainda estava em campo…

Aos 37 minutos, cercado por três jogadores do Fluminense, o Messias protege a bola, de costas, e com um calcanhar sublime deixa Marcelo Passos livre. Este corta para o lado direito e chuta com efeito tirando do zagueiro, marcando o quinto gol do Peixe e, aparentemente, decidindo a classificação.

Porém, o time carioca não estava morto e aos 40 minutos Rogerinho marcou novamente, assustando os torcedores santistas, que passaram a olhar insistentemente para o relógio, pedindo para o árbitro Sidrack Marinho encerrar a partida.

Finalmente, após minutos angustiantes, o árbitro apitou o final do jogo. A vitória por 5 a 2 classificou o Santos para decidir o título com o Botafogo/RJ, que havia eliminado o Cruzeiro na outra semifinal. Estava encerrada a partida que para a maioria dos torcedores alvinegros foi a mais emocionante da história do Santos.

Santos FC 5 x 2 Fluminense FC

Semifinal do Campeonato Brasileiro de 1995
Domingo, 10 de dezembro de 1995
Pacaembu, São Paulo

Renda: R$ 336 289,00 . Público: 28.090 pessoas.
Detalhe: o Tobogã esteve interditado nesse dia por motivos de segurança.

Santos: Edinho, Marquinhos Capixaba, Ronaldo Marconato, Narciso e Marcos Adriano; Gallo e Carlinhos; Macedo (MarcosPaulo), MarceloPassos (Pintado), Giovanni e Camanducaia (Batista). Técnico: Cabralzinho.

Fluminense: Welerson, Ronald, Lima, Alê (Gaucho) e Cássio; Vampeta, Otacílio, Aílton e Rogerinho; Renato Gaucho e Valdeir (Leonardo). Técnico: Joel Santana.

Árbitro: Sidrack Marinho.
Gols do Santos: Giovanni (2), Macedo, Camanducaia e Marcelo Passos.
Gols do Fluminense: Rogerinho (2).
Cartão Vermelho: Ronaldo Marconato.