O SANTOS EM TEMPOS DE GUERRA

O SANTOS EM TEMPOS DE GUERRA

 

O Santos foi o clube que mais visitou países na história do futebol. Esteve presente em todos os continentes. Levou espetáculo para milhões de pessoas, fechou o comércio e até parou guerras e conflitos diplomáticos. Com isso, acumulou troféus, recebeu e trocou presentes e flâmulas, construiu momentos marcantes.

Para conseguir gerir financeiramente seu rico elenco, o Alvinegro fez inúmeras excursões pelo mundo. Uma delas, em 1969, para a África. Lá, em um Congo dividido, ocorreu um dos acontecimentos mais marcantes da história do clube.

Depois de se exibir na República do Congo, a viagem da equipe incluía uma passagem pela quase homônima República Democrática do Congo. Ocorre que os países estavam em litígio, com relações diplomáticas cortadas. Porém, a vontade do povo de ver o Santos jogar era tanta, que um recurso diplomático foi usado para permitir que o time brasileiro atravessasse para o outro lado lado da fronteira, cruzando o rio. Os dois governos concordaram com uma trégua, e um barco especial, enviado pela República Democrática, foi buscar a delegação santista no país vizinho.

O primeiro jogo na capital da República Democrática do Congo, Kinshasa, contra a seleção B do país, terminou com a vitória santista por 2 a 0. Dois dias depois, o Santos enfrentou a seleção principal e foi derrotado por 3 a 2, com dois gols de Pelé. A vitória causou uma comoção nacional entre os congoleses.

Confira o depoimento daqueles que participaram e testemunharam esse episódio.