Público pede e Pelé volta a campo

Público pede e Pelé volta a campo

Guilherme Guarche, do Centro de Memória

Mais uma prova da grandeza da lenda chamada Pelé ocorreu no estádio Olímpico de Quito, no Equador, em 20 de março de 1960, um domingo, quando o Santos venceu o amistoso contra o Aucas por 6 a 2, com dois gols de Dorval e um de Afonsinho, Mário, Ney e Pepe.

O fato diferenciado, que marcou mais essa goleada estonteante do Alvinegro, surgiu quando Pelé foi substituído por Mário, centroavante recém-contratado do Botafogo de Ribeirão Preto.

Mário chegou até a fazer um gol contra a equipe equatoriana, só que minutos depois o grande público irrompeu num grande coro pedindo a volta de Pelé, que teve de retornar a campo no lugar de Afonsinho.

Contratado por ser o titular da Seleção Paulista, Mário da Paixão Mendes custou ao Santos 1,5 milhão de cruzeiros e mais um amistoso em Ribeirão Preto. Porém, jogou apenas 16 jogos e marcou dois gols com a camisa santista, indo depois para o Taubaté.

Na goleada sobre o Aucas o Santos foi escalado pelo técnico Lula com Laércio (depois Lalá), Getúlio e Feijó; Fiote, Formiga e Zito (Urubatão); Dorval, Ney (Afonsinho), Pagão, Pelé (Mário) e Pepe (Tite).

Naquela excursão pela América do Sul, o Alvinegro Praiano realizou dez jogos: cinco na Colômbia, quatro no Peru e um no Equador, dos quais venceu seis, empatou dois e perdeu dois, marcando 24 gols e sofrendo 14.