Odair dos Santos marca o gol 3000. Há 70 anos

Odair dos Santos marca o gol 3000. Há 70 anos

Gabriel Santana, do Centro de Memória

O time mais goleador do mundo assinalou o gol 3000 de sua história em um sábado, dia 16 de setembro de 1950, na vitória sobre o Nacional Atlético Clube, pelo Campeonato Paulista.

O Peixe venceu o time da capital por 4 a 1, no Estádio Comendador de Souza. Charuto abriu o placar para os donos da casa e Odair e Antoninho viraram a partida para o Alvinegro ainda no primeiro tempo. Nicácio marcou o terceiro, e o tento que entrou para a história santista aconteceu aos 37 minutos do segundo tempo, marcado pelo ídolo e artilheiro Odair dos Santos, também conhecido como “Odair Titica”.

Escalado pelo técnico Luiz Comitante, o Santos foi a campo com Leonídio, Hélvio e Dinho; Nenê, Pascoal e Ivan; Alemãozinho, Antoninho, Nicácio, Odair e Pinhegas.

Já o Nacional jogou com Ivo, Mário e Gérsio; Damasceno, Carlos e Henrique; Plácido, Paulo, Paulinho, Charuto e Turelli. O árbitro da partida foi Harry Rowley.

O time santista havia iniciado bem o estadual de 1950, e a vitória sobre o Nacional AC representou o terceiro triunfo consecutivo da equipe. Antes, havia vencido o São Paulo por 3 a 2 e o XV de Piracicaba por 5 a 2.

Adversário tradicional

O Nacional chamava-se São Paulo Railway AC. A mudança para o nome atual ocorreu em 1946, e a primeira vez em que o Alvinegro enfrentou o clube paulistano foi em 1936.

Ao todo, o Peixe enfrentou o Nacional em 52 oportunidades. Venceu 33, empatou oito e perdeu apenas 11 vezes. Marcou 172 gols e sofreu 78, com um saldo de 94 gols a favor.

A última partida entre as equipes ocorreu em 1994, válida pela Copa Bandeirantes. O Santos venceu por 1 a 0, com gol de Paulinho Kobayashi.

Vice-campeão e invicto diante dos rivais

Com apenas um ponto atrás do campeão Palmeiras, o Alvinegro Praiano foi o vice-campeão paulista de 1950. A equipe santista realizou um ótimo estadual naquele ano, e em 22 partidas venceu 13, empatou cinco e perdeu apenas quatro vezes. Marcou 47 gols e sofreu outros 34.

Contra o chamado “trio de ferro”, o time santista ficou invicto. Venceu quatro jogos e empatou dois. Contra o São Paulo foram duas vitórias, uma por 3 a 2, outra por 2 a 1. Contra o Corinthians, vitória por 2 a 1 e um empate em 2 a 2. E contra o Palmeiras, empate em 1 a 1 e triunfo por 4 a 2.

O Santos possuía uma grande equipe, liderada pelo craque Antoninho Fernandes. Ao seu lado, para completar o poderio ofensivo do Peixe, estavam Nicácio, Odair, Pinhegas e Alemãozinho. Foram marcados 47 gols em apenas 22 jogos.

O time da Vila Belmiro estava em uma ótima ascensão, formando equipes com excelentes nomes. Era um sinal da consagração definitiva dos anos posteriores.