O Santos entra em campo pela primeira vez

O Santos entra em campo pela primeira vez

Guilherme Guarche, do Centro de Memória

Passados exatos 70 dias de sua fundação, o novato time do Santos Foot-Ball Club pisava no gramado do campo da Villa Macuco às 13 horas e 30 minutos do ensolarado domingo, 23 de junho de 1912, no início daquele remoto inverno, para participar de um jogo-treino contra um combinado local.

Nessa partida, vencida por 2 a 1, a equipe, que ainda não tinha as cores branca e preta, formou com Julien Fauvel, Simon e Ari; Bulle, Ambrósio e Oscar; Bandeira, Geraule, Esteves, Fontes e Anacleto. Os gols foram marcados por Anacleto Ferramenta e Geraule Moreira Ribeiro; para o combinado marcou Picuru.

Esse combinado, que no livro “Álbum de Ouro”, do mestre De Vaney, é denominado “Thereza Team”, formou com Annibal, Pinto e Ernani; Nenê, Picuru e Belmiro; Zezé, Largacha, Cunha, Moura e Pintanella. No time, composto por alguns atletas remanescentes de um outro Santos Foot-Ball Club, o jogador Agostinho Marba, cujo apelido era Pintanella, fora um dos 39 fundadores do nosso Santos.

Como as dimensões do campo da Vila Macuco eram bem menores do que as medidas regulamentares, este jogo-treino não entra nas estatísticas oficiais do clube.

ground da Villa Macuco

O terreno, que estava desativado, pertencia a José Domingues Martins e tinha sido alugado antes de a agremiação santista existir. Situava-se na rua Aguiar de Andrade, 49-B, Villa Macuco, hoje rua Manoel Tourinho, onde fica a moderna avenida Perimetral, no entorno do cais do porto, nas proximidades da estátua do trabalhador portuário. A antiga sede social da Associação Atlética dos Portuários de Santos ficava ao lado do campo da Villa Macuco.

O terreno utilizado no primeiro jogo-treino foi cuidadosamente nivelado por Francisco José Ribeiro Ratto, o Nhonhô Ratto. Era ele quem, na parte da manhã, dirigia um burrico atrelado a um pesado rolo compressor executando os serviços de nivelamento do terreno. Sua esposa, dona Iraídes, a dona Didi, foi a responsável pela confecção e bordado da primeira bandeira oficial do clube, cujo modelo era em feitio retangular como uma faixa diagonal na cor preta da esquerda para a direita, com as letras iniciais do clube na cor branca. Dona Iraídes filiou-se ao clube no dia 19 de abril de 1917.

O jogo número um do Santos tido como oficial aconteceu em 15 de setembro de 1912, domingo, numa vitória pelo placar de 3 a 2 sobre o Santos Atlhetic Club (clube dos ingleses), com Arnaldo Silveira assinalando o primeiro dos 12 626 gols marcados pelo Santos até a presente data.

Depois dessa estreia no campo da avenida Ana Costa, 22, até sua primeira participação no Campeonato Paulista de 1913, o Santos jogou mais duas partidas de caráter amistoso, tendo vencido ambas. A primeira por 1 a 0, diante do mesmo Santos AC, e a segunda contra o time do São Vicente, por 5 a 0, em São Vicente, a primeira cidade do Brasil.

A saga no Campeonato Paulista

A entrada direta no Campeonato Paulista, sem ter que passar por fase de classificação, atendendo a um convite da Liga Paulista de Futebol, em primeiro de junho de 1913, um domingo, não foi nada agradável, ao contrário, foi desastrosa. O time perdeu por 8 a 1 para a forte equipe de origem alemã do Germânia, no campo da Companhia Antárctica Paulista. Foi também a primeira derrota do time santista, após uma invencibilidade de 259 dias.

Na sequência, os outros jogos foram na seguinte ordem: o inesquecível 6 a 3 contra o arquirrival Corinthians, na primeira partida entre as duas equipes na história; 1 a 5 diante do Internacional e, na última rodada em que participou, derrota por 1 a 6 para a equipe do Americano. Devido aos altos custos da viagem, feita de trem para a capital do Estado, o Santos abandonou o certame, voltando a disputá-lo somente em 1916.

Competição oficial mais antiga do Brasil, realizada regularmente desde 1902, o Campeonato Paulista foi vencido pelo Santos 22 vezes, em: 1935, 1955-1956, 1958, 1960-1961-1962, 1964-1965, 1967-1968-1969, 1973, 1978, 1984, 2006-2007, 2010-2011-2012 e 2015-2016. Conquistou três tricampeonatos e quatro bicampeonatos, tornando-se o time mais vitorioso na fase profissional do futebol paulista.

Futebol santista nasceu na praia

Henrique Porchat de Assis, o Dick Martins, foi o responsável pela realização da primeira partida de futebol na história de Santos, cidade paulista que ainda se modernizava e crescia em função do porto. Com duas surradas bolas de couro que havia trazido de São Paulo, Dick reuniu os primeiros praticantes do novo esporte na manhã de domingo, primeiro de novembro de 1902, defronte à velha capela de Santo Antônio, no Embaré.

Nas areias da praia da Barra, em um campo retangular, os elegantes rapazes, vestidos de terno e gravata, disputaram uma partida do esporte que ia aos poucos se tornando popular e conquistava o interesse da juventude paulista, carioca e de outros Estados do Brasil. A modalidade, porém, ainda era desconhecida na terra de Brás Cubas, onde o remo e o ciclismo eram as preferências dos sportmen.

Entre os deslumbrados footballers que participaram do evento esportivo estavam alguns jovens que insistiram que deram sequência ao esporte jogado com muitas regras e do qual participavam 22 atletas correndo atrás de uma bola. Um deles foi Harold Cross, um jovem europeu que durante muitos anos se destacou defendendo as cores do Santos, clube do qual foi um dos fundadores.

O primeiro clube de futebol fundado na cidade, por Sizino Patusca, foi o CA Internacional. Logo depois surgiu o SC Americano. Esses dois clubes pioneiros se juntaram aos da capital para disputar o Campeonato Paulista de 1907. O Internacional encerrou as atividades em 1910 e o Americano mudou-se para São Paulo no ano seguinte, pois seus integrantes eram estudantes do Mackenzie College.

Entre os anos de 1907 e 1911 havia na cidade uma equipe denominada Santos FBC, que foi extinta sem deixar vestígios de sua existência. E assim os campos dos clubes de futebol foram abandonados e o esporte bretão retrocedeu na cidade, deixando de ser um assunto amplamente discutido pelos seus admiradores e também por não ser mais noticiado nos jornais que antes davam a ele muito espaço e divulgação.

O futebol estagnava na cidade portuária, até que em abril de 1912 o Santos FC nascia e o clube passaria a ser o protagonista de uma história contada com letras douradas, registrando os feitos, as vitórias, os títulos, os recordes, os jogadores por ele revelados que encantariam o mundo, tornando-o, com justiça, o ícone do futebol brasileiro.