O que a história diz de Santos e Inter de Limeira

O que a história diz de Santos e Inter de Limeira

Por Odir Cunha, do Centro de Memória

Estatísticas por Guilherme Guarche

As estatísticas revelam situações curiosas. Em 18 jogos pelo Campeonato Paulista realizados na Vila Belmiro o Santos só perdeu duas vezes para a Internacional de Limeira. Mas a última delas, há 33 anos, em 24 de agosto de 1986, teve uma particularidade interessante que se repetirá nessa quinta-feira: o técnico do time do Interior era um ídolo santista que ganhou mais de um campeonato brasileiro e também foi campeão da Libertadores.

José Macia, o “Canhão da Vila” Pepe, campeão brasileiro de 1961 a 1965 e campeão da Libertadores em 1962 e 1963, era o técnico da Inter de Limeira que venceu o Santos por 2 a 0, na primeira partida da semifinal do Campeonato Paulista de 1986. Agora, a Inter é treinada por Elano Blumer, campeão brasileiro pelo Santos em 2002 e 2004 e campeão da Libertadores em 2011.

Mas, obviamente, o torcedor santista espera que a lógica histórica prevaleça. E como nos 18 jogos na Vila, pelo Campeonato Paulista, o Alvinegro Praiano venceu 10, empatou seis, perdeu apenas dois, marcou 35 gols e sofreu 15, a probabilidade histórica lhe dá 55,5% de chances de vitória, 33,3% de empate e apenas 11,1% de derrota, com 70% de possibilidade de marcar gols, contra 30% do adversário.

Analisando-se todos os 33 jogos do Campeonato Paulista, com a inclusão dos disputados em Limeira, a situação do confronto ainda é bem favorável ao Santos, que tem 16 vitórias (48,4%),11 empates e seis derrotas, marcou 53 gols e sofreu 30.

Somados todos os 43 jogos entre ambos, incluindo também seis partidas amistosas e quatro pelo Campeonato Brasileiro, o Santos tem 21 vitórias (48,8%), 15 empates (34,8%) e sete derrotas (16,2%); marcou 67 gols e sofreu 38.

Na maior goleada, aplausos ao vovô Jorginho

Santos e Inter de Limeira não fazem um confronto de grandes goleadas. A maior foi um 6 a 2, em 3 de abril de 1999, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista. Nesse sábado, o time treinado por Émerson Leão já virou o primeiro tempo vencendo por 4 a 0, com gols de Andrei, Rodrigo Fabri, Rodrigão e Jorginho. Na segunda etapa Jorginho e Narciso completaram a goleada (Alexandre fez os dois gols da Inter).

Na saída de campo, uma parte dos 5.204 torcedores que pagaram ingresso gritavam para o meia Jorginho, 33 anos: “Ô, ô, ô, o vovô é um terror”. Ele respondeu: “Eu sou o vovô, terror é o Viola”.

Com exceção desta, as outras duas maiores goleadas do duelo – ambas por 5 a 1, na Vila Belmiro e pelo Campeonato Paulista – ocorreram em 25 de outubro de 1983 e em 9 de fevereiro de 2003.

Artilheiros santistas nos confrontos pelo Paulista

1 – Serginho Chulapa, 4 gols.

2 – Guga e Ricardo Oliveira, 3 gols.

No primeiro confronto, empate na Vila

Em um domingo, 28 de maio de 1922, em uma Vila Belmiro inaugurada há apenas cinco anos, o Santos recebeu a Internacional de Limeira para um jogo amistoso. O Alvinegro não estava em boa fase e conseguiu apenas um empate, por um gol. Constantino marcou para o Santos, Guilherme para o time do Interior.

O Santos jogou com Randolpho, Paulino e Waldemar; Gama, Rosa e Rosas; Constantino, Chico Massulo, Ary Patuska, Muller e Edgard. A Internacional se apresentou com Quinze, Lau e Phenga; Raphael, Carabina e Zequinha; Cunha, Albertino, Tonico, Pequeno e Guilherme. A arbitragem foi de Nestor Pedroso de Carvalho.