O 19º título paulista foi assim…

O 19º título paulista foi assim…

Por Gabriel Santana e Odir Cunha, do Centro de Memória

Aquele lado do campo estava envolto em fumaça e por um momento os jogadores pareceram aturdidos. Zé Eduardo, o Zé Love, segurou a bola e passou para Neymar assim que este percebeu o buraco e se deslocou para a esquerda. Com a bola, Neymar caminhou para cima de Chicão, que foi recuando, recuando… Então, o atacante santista conseguiu dar um chute seco, rápido, colocando a bola entre as pernas do adversário. Surpreso, o goleiro Júlio César tentou agarrar, mas a bola escorreu pelas suas mãos e entrou mansamente junto à trave esquerda. Este gol definiu o título paulista de 2011, na Vila Belmiro. O dia era um domingo, 15 de maio.

O Santos já terminara o primeiro tempo com uma vantagem de 1 a 0, obtida com uma ótima presença de Arouca – em grande fase e cogitado para a Seleção Brasileira –, que percebeu a chance e correu para a área pequena a tempo de aproveitar o chute-centro de Zé Eduardo. O gol de Neymar, no fim do jogo, deu a muitos a impressão de que o título estava ganho.

Como já se passavam 38 minutos do segundo tempo, os locutores Luciano do Valle, da TV Bandeirantes, e Cléber Machado, da Globo, disseram que aquele gol de Neymar definia mais um título paulista do Santos, o décimo-nono da vitoriosa história Alvinegra. Mas ainda havia jogo. Dois minutos depois o adversário diminuiu com um cruzamento de Morais que passou por todo mundo, até pelo desatento goleiro Rafael. Mas não havia tempo para impedir a justiça absoluta, entretanto.

Com um amplo domínio do jogo e chances claríssimas de gol desperdiçadas – por Neymar, Alan Patrick, Zé Eduardo –, além de uma bola na trave chutada por Arouca, o Santos até que merecia ter vencido por uma diferença maior. Mas os 2 a 1 foram suficientes para definir o melhor time do campeonato.

Após ficar em quarto lugar na fase de classificação, o Santos foi cirúrgico na fase decisiva. Sofreu apenas um gol nas quatro partidas eliminatórias, e venceu três delas. Ao todo, fez 23 partidas no campeonato, obtendo 14 vitórias, seis empates e três derrotas, marcando 45 e sofrendo 21 gols.

O time campeão, escalado por Muricy Ramalho, jogou com Rafael, Jonathan (depois Pará), Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Adriano, Arouca, Elano e Alan Patrick (Rodrigo Possebon); Neymar e Zé Eduardo. O árbitro foi Luiz Flávio de Oliveira, com boa atuação, e o público alcançou 14.332 espectadores.

Estatísticas

Com 11 gols marcados, Elano foi o artilheiro do Campeonato Paulista, empatado com Liedson, do Corinthians. Após 15 anos, o Peixe voltava a ter o artilheiro máximo do Estadual.

Os demais atletas que marcaram para o time santista foram: Maikon Leite e Zé Eduardo, sete gols; Keirrison, seis; Neymar, quatro; Paulo Henrique Ganso, dois, e Rodrigo Possebon, Felipe Anderson, Léo Bastos, Edu Dracena, Jonathan, Tiago Alves, Alan Patrick e Arouca, um gol.
O goleiro Rafael e o volante Adriano foram os atletas que mais atuaram pelo Santos na competição, com 20 jogos cada.