No Pacaembu Santos tem vantagem sobre Palmeiras

No Pacaembu Santos tem vantagem sobre Palmeiras

Por Odir Cunha, do Centro de Memória
Estatísticas por Guilherme Guarche

O Clássico dos Clássicos volta a ser a atração maior do futebol paulista neste sábado, às 16 horas, no Pacaembu, onde há 61 anos, quase 62, Santos e Palmeiras fizeram o jogo mais eletrizante já realizado no Brasil. Como se sabe, naquele 6 de março de 1958 o Santos vencia por 5 a 2 no primeiro tempo, tomou a virada na segunda etapa e virou novamente nos sete minutos finais, em uma sequência alucinante de sobressaltos que matou quatro torcedores do coração.

Este duelo tem uma particularidade que até santistas fanáticos não devem saber: pesquisados todos os 82 jogos que Peixe e Porco fizeram no Estádio Municipal de São Paulo, a vantagem é do Alvinegro Praiano, com 30 vitórias, 25 empates e 27 derrotas, 138 gols a favor e 133 contra.

Essa superioridade é bem parecida com a que o Santos mantém nos 109 jogos na Vila Belmiro. Em seu estádio o Alvinegro venceu o rival 47 vezes, empatou 19, perdeu 43, marcou 173 e sofreu 178 gols.

Neste século, somados os confrontos em todos os estádios, os times já se enfrentaram 60 vezes, com 23 vitórias santistas, 22 derrotas e 15 empates, 81 gols a favor e 85 contra.

No retrospecto geral, desde os tempos do amadorismo, quando o Palmeiras ainda se chamava Palestra Itália, os times já se enfrentaram 327 vezes, com 105 vitórias do Santos, 85 empates e 137 derrotas, 471 gols a favor e 557 contra.

Analisados os 191 jogos do Campeonato Paulista, em qualquer campo – desde o primeiro encontro pelo Estadual, em 1916 – o Santos obteve 54 vitórias, 44 empates e 93 derrotas, fez 254 gols e sofreu 342.

Isolados apenas os 38 duelos no Pacaembu válidos pelo, chega-se a nove vitórias santistas, 12 empates e 17 derrotas, 52 gols a favor e 60 contra.

Uma história de goleadas

Considerando-se como goleada uma vitória de no mínimo três gols de diferença, esse confronto já teve 51 goleadas, ou 15,59% do total dos jogos. Na verdade, como se verá abaixo, o duelo já começou com uma acachapante goleada santista por 7 a 0, resultado que adiou por mais um ano a entrada do Palestra Itália na divisão principal do futebol paulista.

Pelo Campeonato Paulista e no Pacaembu, a maior goleada aplicada pelo Palmeiras sobre o Santos ocorreu em 3 de janeiro de 1954, um domingo, em jogo válido pelo campeonato do ano anterior. Bem que o Alvinegro lutou e conseguiu terminar o primeiro tempo empatado em 3 a 3, com dois gols de Vasconcelos e um de Del Vecchio, mas na segunda etapa o adversário acabou marcando mais três vezes e venceu por 6 a 3.

Apenas 28 anos depois, em 23 de novembro de 1982, é que o Santos, orientado pelo técnico Chico Formiga, deu o troco no Palmeiras, então dirigido por Rubens Minelli, em uma partida de Campeonato Paulista. Naquela noite de terça-feira, em que 18 836 espectadores foram ao Pacaembu, os Meninos da Vila golearam por 6 a 1, com dois gols de João Paulo, dois de Serginho, um de Paulinho e um de Roberto César.

Artilheiros santistas do confronto no Campeonato Paulista
1 – Pelé, 22 gols.
2 – Coutinho e Odair, sete gols.
4 – Pepe, Edu, Araken, Del Vecchio e Durval, seis gols.

Primeira partida
Santos 7 x 0 Palestra Itália
Domingo, 3 de outubro de 1915
Amistoso no Campo do Velódromo, São Paulo
Árbitro: Irineu Malta
Santos: CiroWerneck, Américo e Urbano Caldeira (também era o técnico do time); Pereira, Oscar e Ricardo; Aranha, Ary Patusca, Anacleto Ferramenta, Marba e Arnaldo Silveira.
Palestra Itália: Stillitano, Felice e Fulvio; Police, Fragassi e Imparato; Pastore, Américo Fiaschi, Amílcar, Ferré e Ítalo.
Gols: Ary Patusca (3), Anacleto Ferramenta (2), Aranha e Arnaldo Silveira.

Última partida
Santos 2 x 0 Palmeiras
Quarta-feira, 9 de outubro de 2019
Campeonato Brasileiro, Vila Belmiro
Público e renda: 11 408, R$ 592.000,00
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Santos: Éverson, Pará, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota; Marinho, Eduardo Sasha e Taílson (Lucas Venuto). Técnico: Jorge Sampaoli.
Palmeiras: Jaílson, Marcos Rocha, Luan, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa (Zé Rafael); Dudu, William e Luiz Adriano (Carlos Eduardo). Técnico: Mano Menezes.
Gols: Gustavo Henrique e Marinho.
Obs.: Com a vitória o Santos passou para a segunda colocação. Empatava com o Palmeiras no número de pontos (47), mas ficava à frente por ter uma vitória a mais.