Mesmo com três desfalques, Santos vence a Alemanha, em Hamburgo. De virada.

Mesmo com três desfalques, Santos vence a Alemanha, em Hamburgo. De virada.

Houve época em que o futebol era um esporte repleto de craques, dominado pela Seleção Brasileira, que por sua vez era dominada pelo Santos. Ou melhor, o Santos era a Seleção Brasileira, como veremos no texto a seguir.

Alemanha Ocidental 1 x 2 Santos-Brasil

Por Gabriel Santana, do Centro de Memória

Em um domingo, 5 de maio de 1963, quando duas potências do futebol mundial, Brasil e Alemanha Ocidental, se enfrentaram pela primeira vez, em Hamburgo, e o Santos teve participação essencial na histórica partida. Aymoré Moreira, técnico da Seleção, escalou nada menos do que oito titulares do Santos para enfrentar a poderosa equipe alemã, que seria vice-campeã mundial três anos depois, na Copa da Inglaterra.

Os santistas titulares naquele confronto de gigantes eram Gylmar, Lima, Zito e todo o ataque mágico: Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Apenas os zagueiros Eduardo, do Corinthians, e Roberto Dias, do São Paulo, além do lateral-esquerdo Rildo, do Botafogo, eram de outros clubes.

A expectativa pela partida levou ao estádio Volkspark, em Hamburgo, um público de 72 mil pessoas, proporcionando arrecadação de aproximadamente 150 milhões de cruzeiros.

O técnico Sepp Herberger escalou a Alemanha Ocidental com Fahrian, Nowak, Schnellinger, Shulz e Wilden; Werner, Heiss e Schutz; Seeler, Konietzka (Strehl no intervalo) e Dorfel. O árbitro foi o suíço Gottfried Dienst.

Os alemães tiveram mais posse de bola, criaram mais chances e saíram na frente com um gol de pênalti de Werner, aos 44 minutos do primeiro tempo. Mas o Brasil voltou melhor na segunda etapa e o ataque santista resolveu a partida para a Seleção.

Aos 25 minutos, em rápido contra-ataque, Coutinho recebeu passe de Pelé na entrada da área, fez que ia devolver a bola e girou para chutar no canto esquerdo, empatando o jogo. Dois minutos depois, em outro ataque rápido, Pelé aproveitou passe de Mengálvio e acertou um belo chute no ângulo, definindo a vitória brasileira.

Histórico plenamente favorável

Já foram realizados 23 jogos entre Brasil e Alemanha, com ampla vantagem brasileira. São 13 vitórias contra cinco empates e cinco derrotas; 41 gols marcados e 31 sofridos.

Detalhe: A Alemanha deste texto é a Ocidental, que em 1990 se uniria à Alemanha Oriental, formamdo um único país, como antes da II Guerra Mundial.