Jogo de três títulos brasileiros

Jogo de três títulos brasileiros

Por: Odir Cunha

O jogo do Santos contra o Vasco, que se repetirá pela centésima vigésima vez neste sábado, tem muita história. Foi a partida que em 21 de abril de 1927 inaugurou São Januário, então o maior estádio do Brasil, com a presença do presidente Washington Luís, que viu, assim como os 40 mil espectadores, a indiscutível vitória santista por 5 a 3. Também é o jogo que ficou marcado pelo milésimo gol de Pelé, em 19 de novembro de 1969, quando mais telespectadores assistiram à vitória santista por 2 a 1, no mundo todo, do que as que viram a segunda alunissagem do homem, no mesmo dia, com a Apolo 12.

Mas o que, para mim, o mais curioso nesse confronto é que por três vezes o Santos comemorou o título brasileiro depois de jogá-lo: em 8 de dezembro de 1965, quando o Alvinegro Praiano venceu por 1 a 0, no Maracanã, e vencer a Taça Brasil, tornando-se pentacampeão brasileiro; em 10 de dezembro de 1968, quando venceu por 2 a 1 e conquistou o Torneio Roberto Gomes Pedrosa, seu sexto título brasileiro, e em 19 de dezembro de 2004, em São José do Rio Preto, ao ganhar seu oitavo título brasileiro ao vencer por 2 a 1 na última rodada do campeonato de pontos corridos.

Vantagem santista nos Brasileiros

Nosso Centro de Memória, por intermédio do jovem historiador Gabriel Santana, nos informa que em duelos pelo Campeonato Brasileiro a vantagem santista é de três jogos e quatro gols. Foram 65 partidas ao todo, com 23 vitórias do Santos, 20 derrotas e 22 empates; 89 gols a favor e 85 contra.

Na soma geral dos confrontos, a situação se inverte e é o Vasco que tem a vantagem de três vitórias e quatro gols, pois foram 40 triunfos santistas, 43 derrotas e 36 empates, com 185 gols a favor e 189 contra. No Maracanã o Santos só venceu o Vasco quatro vezes, mas duas delas decidiram o título brasileiro e em outra Pelé fez o milésimo. No mais, foram 14 vitórias vascaínas e 8 empates, com 25 gols santistas e 47 vascaínos.

No geral, o Santos já atuou 156 vezes no Estádio do Maracanã, com 52 vitórias, 33 empates e 71 derrotas, 229 gols marcados e 242 sofridos.

Artilheiros do Santos no confronto

1 – Pelé, 9 gols.

2 – Coutinho, 8 gols.

3 – Dorval e Toninho Guerreiro, 6 gols.

5 – Alessandro e Pepe, 5 gols.

Empate no último Santos e Vasco no Maracanã

10/11/2013 – Vasco 2 x 2 Santos

Gols: Bruno Peres aos 24min, Gustavo Henrique aos 27min e Edmílson aos 28min do primeiro tempo; André aos 33min do segundo tempo.

Público: 56.756 pagantes. Renda: R$ 767.190,00

Vasco: Alessandro, Fagner, Jomar, Cris e Yotún; Abuda, Pedro Ken, Juninho Pernambucano (Jhon Cley)(Bernardo) e Marlone; Reginaldo (André) e Edmilson. Técnico: Adílson Batista.

Santos: Aranha, Bruno Peres, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Mena; Alison, Arouca, Cícero e Montillo; Geuvânio e Willian José (Alan Santos). Técnico: Claudinei Oliveira.

Gols: Bruno Peres aos 24, Gustavo Henrique aos 27 e Edmílson aos 28 minutos do primeiro tempo; André aos 33 minutos do segundo.

Arbitragem: Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO), auxiliado por Marrubson Melo Freitas (DF) e Rafael da Silva Alves (RS).

Cartões amarelos: Yotún e André (Vasco); Willian José e Geuvânio (Santos).

Vitória santista no último jogo no Maraca

13/06/2018 – Fluminense 0 x 1 Santos

Gol: Bruno Henrique aos 40min do segundo tempo.

Arbitragem: Rafael Traci (PR), auxiliado por Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (PR).

Cartões amarelos: Matheus Norton, Douglas (FFC); Alison, Diego Pituca, Renato (SFC).

Fluminense: Julio Cesar, Ibañez (Sornoza), Nathan e Luan Peres; Matheus Norton, Gilberto, Richard, Jadson (Dodi), Marlon e Douglas; Pablo Dyego (Dudu) e Pedro. Técnico: Abel Braga.

Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Dodô; Diego Pituca, Alison (Copete), Léo Cittadini e Jean Mota (Renato); Bruno Henrique e Gabriel (Vitor Bueno). Técnico: Jair Ventura.

Gol: Bruno Henrique aos 40min do segundo tempo.

Arbitragem: Rafael Traci (PR), auxiliado por Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (PR).

Cartões amarelos: Matheus Norton, Douglas (FFC); Alison, Diego Pituca, Renato (SFC).

91 anos de rivalidade

Gabriel Santana

A história do confronto entre Santos e Vasco se inicia no distante ano de 1927, temporada em que o time santista chegou à marca impressionante de 172 gols em 29 partidas. Só no Campeonato Paulista foram 100 gols em 16 jogos, com média incomparável de 6,25 gols por jogo!

As brilhantes atuações do time santista ganharam destaque na imprensa nacional e o Vasco resolveu convidar o Santos para a partida inaugural do seu estádio. Confiante, o clube carioca confeccionou um lindo troféu para entregar ao time vencedor da partida. São Januário, então o maior estádio do Brasil, ficou lotado naquele feriado de 21 de abril para ver o grande duelo.

Para infelicidade dos vascaínos, porém, Feitiço, Araken e Evangelista estavam em um dia inspirado e comandaram a vitória do Alvinegro Praiano por 5 a 3 e trouxeram a Taça da Inauguração de São Januário para a Vila Belmiro. Ela pode ser apreciada no nosso Memorial das Conquistas, na vitrine ao lado esquerdo de quem entra.

Depois desse embate, os confrontos entre Santos e Vasco começaram a ser constantes. Em 1959 o Santos ganhou o seu primeiro Torneio Rio-São Paulo ao vencer o Vasco por 3 a 0, no Pacaembu, com dois gols de um garoto de apenas 15 anos apelidado Coutinho. E em 1965 as equipes se enfrentaram pela primeira vez na decisão de um título brasileiro.

No primeiro jogo da final, realizado no Pacaembu, o time santista, em noite de gala, aplicou uma goleada por 5 a 1. No primeiro tempo, Coutinho abriu o marcador aos 7 minutos, e a exibição brilhante do Santos ficou para a segunda etapa, quando Dorval marcou aos 18 e aos 20 minutos e o goleador Toninho Guerreiro fez mais dois, aos 27 e aos 42, encerrando o placar. No segundo jogo, mesmo sem precisar vencer, o Alvinegro de Vila Belmiro triunfou por 1 a 0, com gol de Pelé, conquistando seu quinto título brasileiro seguido, em pleno Maracanã.

Depois veio a decisão do quadrangular decisivo do Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968, válido pelo título brasileiro daquele ano. Depois de vencer Internacional e Palmeiras, o Santos poderia ser campeão com um empate, mas derrotou o Vasco por 2 a 1 e conquistou seu sexto título nacional.

Trinta e seis anos depois, em 2004, mesmo não sendo uma final, o Vasco foi o derradeiro adversário do Santos no campeonato que deu ao Alvinegro Praiano seu oitavo título brasileiro. O sistema de pontos corridos colocou frente a frente as duas equipes, com interesses diferentes, e o time da Vila Belmiro triunfou por 2 a 1, com um belo gol de Ricardinho em cobrança de falta, e outro de Elano, de cabeça.

E quando falamos sobre Santos e Vasco, não podemos deixar de lembrar do inigualável jogo do Milésimo Gol do Rei, em 1969. As 65.157 pessoas presentes no Estádio do Maracanã e as mihões que estavam acompanhando a partida por algum meio de comunicação, jamais se esquecerão do momento em que o melhor jogador de todos os tempos alcançou uma de suas maiores marcas.