Invicto na Vila

Invicto na Vila

Por Odir Cunha, do Centro de Memória
Estatísticas por Gabriel Santana e Guilherme Guarche

Dezessete jogos pelo Campeonato Brasileiro foram realizados na Vila Belmiro, onde o Santos jamais perdeu para o Club Athlético Paranaense, vencendo 13 deles e empatando os outro quatro, marcando 37 gols e sofrendo 12. Isso resulta na proporção de três vitórias e um empate a cada quatro jogos, e dois gols marcados e 0,7 gols sofridos por partida.

Incluindo-se todos os estádios, os times se enfrentaram 45 vezes pelo Campeonato Brasileiro e o Santos obteve 23 vitórias, 11 empates e 11 derrotas, marcou 72 e sofreu 46 gols.

Somando-se os jogos de todas as competições e também os amistosos chega-se a 58 confrontos, com 28 vitórias do Santos, 16 do Athlético e 14 empates; 91 gols santistas e 64 atleticanos.

Na última vez, Sánchez definiu

Na última vez em que o estádio Urbano Caldeira recebeu o clássico, em 30 de setembro do ano passado – um domingo nublado, com temperatura de 27 graus –, os times estavam empatados com 33 pontos, em uma posição intermediária na tabela.

O técnico Cuca escalou o Alvinegro no esquema 4-3-3, com Vanderlei, Victor Ferraz, Róbson Bambu (depois Luiz Felipe), Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Carlos Sánchez e Diego Pituca; Rodrygo, Eduardo Sasha (Derlis Gonzalez) e Bruno Henrique (Kaio Jorge).

O interino Tiago Nunez, que herdou a tarefa de dirigir o time com a demissão de Fernando Diniz, armou o Athlético no 4-2-3-1, com Santos, Diego, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington e Lucho González (depois Bruno Guimarães); Marcinho (Rony), Raphael Veiga e Nikão (Márcio Azevedo); Marcelo Cirino.

Predominante na maior parte do tempo, o Santos criava boas oportunidades, principalmente com Rodrygo e Carlos Sánchez, mas parecia que o gol não sairia mesmo, até que aos 47 minutos Dodô saltou para dominar a bola na área adversária e recebeu uma carga por trás do atacante Rony, que ajudava sua defesa. O árbitro Caio Max Augusto Vieira marcou pênalti.

Confiante, o uruguaio Carlos Sánchez cobrou a penalidade aos 51 minutos, colocando a bola no ângulo direito do goleiro Santos, marcando o seu primeiro gol com a camisa do Santos. A vitória fez o time saltar para a oitava posição no campeonato.

Artilheiros santistas nos confrontos pelo Brasileiro

1 – Neymar, cinco gols.
2 – Paulinho Mclaren, Edu, Ricardinho e Kléber Pereira, quatro gols.