Fauvel, um francês de estirpe, foi o primeiro goleiro do Santos

Fauvel, um francês de estirpe, foi o primeiro goleiro do Santos

Por Guilherme Guarche, do Centro de Memória

A desastrosa estreia do Santos Foot-Ball Club no Campeonato Paulista ocorreu em um domingo, dia 1º de junho, no distante ano de 1913, no campo da Antártica Paulista, em São Paulo. Naquele dia, o Alvinegro sofreu a primeira derrota de sua história, e que derrota! Acabou goleado pela forte equipe do Germânia (atual Pinheiros), da capital, pelo placar de 8 a 1.

Para o primeiro jogo oficial em São Paulo, o técnico Urbano Caldeira escalou o campeão santista com Julien Fauvel, Arantes e Sidnei; Geraule, Ambrósio e Pereira; Millon, Nilo, Anacleto Ferramenta – autor do único gol alvinegro na partida – Harold Cross e Arnaldo Silveira.

A vexatória derrota na estreia da competição organizada pela Liga Paulista de Futebol provocou comentários ácidos do jornal O Estado de São Paulo, para o qual “o time santista não tinha training. Seus jogadores não desempenharam bem suas funções, apresentaram apenas uma confusão lastimável… além disso estavam com visível caipora” (no caso, “caipora” quer dizer má sorte).

O duro revés fez com que o treinador Urbano Caldeira substituísse o “gol keeper” Julien Fauvel por Durval Damasceno – e essa partida contra o Germânia foi também a quarta e última apresentação de Fauvel, um esforçado goleiro francês que veio para o Brasil com 23 anos para trabalhar no Porto de Santos como classificador de café.

A trajetória de vida do professor Julien Fauvel é muito bonita e inspiradora. Nascido em 1887, na região da cidade portuária de Havre, na França, veio para o Brasil em 1910, trabalhou no Porto, jogou no Santos, voltou à Europa em 1914 para defender sua pátria na Primeira Guerra Mundial, foi condecorado pelo governo francês com a medalha “Croix de Guerra”, retornou ao Brasil e foi morar em São Carlos, Interior de São Paulo, onde realizou importante trabalho educativo.

Conceituado professor de francês, Fauvel lecionou em São Carlos e escreveu livros sobre o seu idioma, além de fundar a Organização de Ensino Julien Fauvel. Viveu em São Carlos até o fim de seus dias. Lá se casou, aos 29 anos, com uma jovem chamada Filomena; jogou pelo Ideal Paulista Esporte Clube, e faleceu em 4 de setembro de 1958, aos 71 anos.

Hoje, em São Carlos, há uma EMEI (Escola Municipal de Educação Infantil) batizada com o nome do primeiro goleiro do Santos, em reconhecimento ao trabalho de Julien Fauvel pelo ensino e pelo esporte da região.