Dutra marca, do meio de campo, o lindo gol 10 mil

Dutra marca, do meio de campo, o lindo gol 10 mil

Por Gabriel Santana, do Centro de Memória

Um gol marcado do meio de campo é algo raro no futebol. Gols desse nível ficam eternizados na história. Quando coincide que o golaço também é uma marca histórica importante, então ele fica duplamente eternizado.

No dia 25 de outubro de 1997, em um sábado à noite, na Vila Belmiro, o lateral-esquerdo Dutra sentiu essa sensação ao colocar a bola no fundo das redes do Bahia com um lindo chute de longa distância. Além de receber uma placa comemorativa, a jogada representou o gol 10 mil da história do Santos, o primeiro time do mundo a alcançar esse patamar.

Válida pelo Campeonato Brasileiro, a partida começou com a vantagem do Bahia, mas o Santos empatou ainda no primeiro tempo e marcou dois gols no segundo, o último deles pelo pé esquerdo de Dutra.

Robson Luís abriu o placar para a equipe baiana aos 20 minutos de jogo e João Santos empatou aos 34, após arrematar de dentro da área, aproveitando cruzamento de Anderson Lima. Antes do fim do primeiro tempo, o atacante Caio, hoje comentarista da TV Globo, acertou uma bola na trave, adiando a virada.

Logo aos seis minutos da segunda etapa, Arinélson colocou a equipe santista na frente após receber passe de Muller. A partida ficou aberta, os dois times criaram diversas oportunidades, mas apenas aos 48 minutos saiu mais um gol, justamente aquele que entrou para a história santista.

Em rápido contra-ataque, Arinélson lançou Caio, que dividiu com o goleiro Willian Andem. A bola espirrou até o meio campo e sobrou para Dutra, que pegou de primeira, com extrema categoria, e a colocou nas redes, por cobertura, sendo imediatamente abraçado por todos os seus companheiros.

Ao final da partida, muito emocionado, Dutra lembrou os momentos difíceis que passou ao se lesionar e ficar nove meses em recuperação. O gol histórico foi o primeiro dele com a camisa santista.

O ano de 1997 representou a primeira temporada de Dutra pelo Alvinegro. Permaneceu no clube até 2000, emprestado algumas vezes a outros clubes durante esse período. Atuou em 74 jogos pelo Santos e marcou dois gols.

O Santos se classificou em sexto lugar na fase inicial do Brasileiro de 1997. Depois, na etapa semifinal, ficou em segundo lugar na sua chave e não jogou a final, reservada apenas aos dois primeiros de cada grupo. Quanto ao Bahia, acabou rebaixado para a Série B, ao lado de Criciúma, Fluminense e União São João.