Dia Urbano Caldeira

Dia Urbano Caldeira

Nesta quarta-feira, 9 de janeiro, comemoramos o Dia Urbano Caldeira, uma homenagem ao patrono do Santos Futebol Clube.

Seria conveniente lembrar dos feitos desse ilustre e dedicado santista e dessa forma justificar tantas honras, a mais significativa delas, o nome do estádio de Vila Belmiro, o Estádio Urbano Caldeira. Mas, ainda assim, poderíamos incorrer no erro de julgar seus méritos de acordo com nossa escala de valores. Afinal, Urbano morreu antes mesmo do Santos conquistar seu primeiro campeonato estadual. Porém, o que seria do Santos, sua torcida e seus títulos se não fosse o trabalho semeado por esse abnegado senhor? Ele que sempre tratou o Santos como um clube grandioso desde os primórdios. Teria ele predestinado os dias de glórias?

Nada melhor do que trazer à luz dos dias atuais, as impressões e a memória daqueles que conviveram com Urbano Caldeira. Jogador, técnico, secretário e diretor, Urbano dedicou sua vida ao clube. Ao seu lado, outros ilustres companheiros que se perpetuaram na história do glorioso alvinegro deixaram registrado seu reconhecimento pelos serviços prestados ao clube.

Foi de Ricardo Pinto de Oliveira, jogador e depois dirigente, a iniciativa pela maior honraria do clube. Destacamos aqui o ofício endereçado aos seus colegas diretores, apenas quatro dias após o falecimento de Urbano Caldeira:

“Aos diretores do Santos F. Club presentes

Prezados colegas,

Segunda-feira, 13 do corrente, fomos todos abalados profundamente com o desaparecimento prematuro do nosso consócio e grande Benemérito do nosso “Santos”, Urbano Vilella Caldeira Filho.

Dizer o que foi “Urbano” dentro de nosso clube, é causa desnecessária, pois todos bem o sabem, que Urbano era o próprio “Santos”, pois a ele dedicou toda a sua vida, toda a sua inteligência, toda a sua atividade, durante cerca de vinte anos em que viveu nesta cidade.

Foi Urbano Caldeira, o sócio que durante mais tempo prestou serviços ao clube, serviços que todos sabem reconhecer de enorme relevância.

Por isso, como o seu mais antigo companheiro de lutas, dentre todos os atuais diretores e, estando ainda ocupando o cargo que por muitos e muitos anos ele ocupou com tanto brilho e inigualável dedicação, venho cumprindo um dever de justiça e amizade, propor que entre as homenagens que a diretoria resolver prestar à memória de Urbano Caldeira, seja incluídas as seguintes:

1º Seja dada a nossa Praça de Esportes, a denominação de Praça de Esportes “Urbano Caldeira Filho”.
2º Que o clube mande erigir no pátio de entrada de nosso campo, uma herma com o busto deste nosso consócio que sem favor algum foi o nosso maior e mais dedicado associado e o esteio mais forte que o Santos F Clube sempre encontrou, para chegar ao ponto de adiantamento e progresso em que se encontra atualmente.

Um voto pois, de eterna gratidão e de imensurável saudade do nosso Urbano.

Ata das Sessões em 17 de março de 1933.

Ricardo Pinto de Oliveira
Diretor Geral de Esportes”