Centro de Memória, a História do Santos a seu dispor

Centro de Memória, a História do Santos a seu dispor

A história é um dos bens mais preciosos do Santos e um dos maiores fatores de valorização de sua marca. Para cuidar dela, o clube conta com o seu Centro de Memória, hoje composto por quatro profissionais: Gabriel Pierin, historiador formado; Gabriel Santana, com curso superior em Audiovisual; Guilherme Gomez Guarche, com formação em Jornalismo, e Odir Cunha, jornalista.

Em 2018 essa equipe transformou uma área de 50 metros quadrados usada como depósito para 5.000 livros datados desde a fundação do Santos, em um arquivo limpo e organizado, agora à disposição de novas pesquisas tanto do quarteto de historiadores do clube, como de pesquisadores em geral.
O material dos livros serviu de matéria-prima para a 1ª Exposição de Documentos Históricos do Santos, aberta ao público no Memorial das Conquistas, com curadoria de Gabriel Pierin.

Neste ano também foi lançado o selo editorial Memorial das Conquistas, administrado pelo Centro de Memória, que lançará regularmente obras oficiais sobre a história do Glorioso Alvinegro Praiano. A primeira, “Na Raça!”, foi relançada no mês passado. Seu autor, Odir Cunha, já escreveu 12 livros sobre o Santos.

“Ao trazermos do passado novas informações sobre a pródiga história santista, modificamos o presente. Um exemplo disso é quando lembramos que entre os fundadores do Santos havia dois garotos, um de 16 anos, outro de 17, que dois anos depois eram titulares da Seleção Brasileira vencedora da Copa Rocca. Falo de Adolpho Millon e Arnaldo Silveira. Que time tem isso? Por aí se vê que o Santos já nasceu grande, especial, predestinado”, diz Cunha.

Uma máxima do Centro de Memória é que as informações devem ser continuamente checadas, pois sempre se pode descobrir um fato novo. Uma carta do goleiro Agne, sueco, de 1926, provou que ele não participou da goleada do Santos sobre o Ypiranga por 5 a 2, como os jornais da época publicaram.
Após minuciosa pesquisa, Guilherme Guarche e Gabriel Santana refizeram o número de jogos e de gols dos principais artilheiros do Santos. Pepe e Coutinho, por exemplo, fizeram 403 e 368 gols, respectivamente, e não 405 e 370, como se acreditava.

“O objetivo do Centro de Memória é fornecer informações oficiais e corretas sobre a história do clube”, diz Guarche, autor de oito livros sobre a história santista.

O Centro de Memória está à disposição de jornalistas, estudantes e pesquisadores em geral interessados em quaisquer aspectos da história oficial do Santos Futebol Clube. Para obter informações ou agendar visitas , basta enviar mensagem pelo e-mail centrodememoria@santosfc.com.br  ou ligar para (13) 3257-4088, diariamente, das 7 às 17 horas.