Campeão até na China

Campeão até na China

Por Guilherme Guarche, do Centro de Memória

Há 29 anos, em 3 de junho de 1990, o Santos juntava mais um troféu à sua coleção ao empatar com o Nacional, do Uruguai, em 1 a 1. O detalhe é que o jogo e o torneio foram disputados na cidade de Taipei, em Taiwan, ou República da China.

Dirigido pelo técnico José Macia, o Pepe, o Alvinegro Praiano conquistou o American Super Cup of Football após um empate tumultuoso com o time uruguaio. Naquele domingo, o técnico José Macia, o Pepe, escalou o time com Sérgio Guedes, César Ferreira, Márcio Rossini, Luiz Carlos e Flavinho; César Sampaio, Derval (Camilo), Axel e Zé Humberto, Sérgio Manoel (Mendonça) e Kazu.

A confusão ocorreu na prorrogação, depois de empate sem gols no tempo normal. Então, o Nacional fez 1 a 0, mas o Santos empatou, com gol do zagueiro Camilo, de cabeça. Os jogadores do Nacional cercaram o árbitro argentino Abnel Gnecco, reclamando de uma irregularidade. Os santistas, por sua vez, temendo pela anulação do gol, também entraram na confusão. O quebra-quebra acabou destruindo até a taça.

Três dias depois, os organizadores do torneio resolveram proclamar Santos e Nacional campeões e entregaram taças novas para as duas equipes.

Para chegar a esse título do outro lado do mundo, o Santos venceu o Estudiantes de La Plata por 1 a 0; empatou com o Nacional por 1 a 1 e venceu por 3 a 2 nos pênaltis, e na decisão estava empatando em 1 a 1 na prorrogação com o mesmo Nacional quando estourou a briga. Zé Humberto, Axel e Camilo marcaram os gols santistas no torneio.