Aniversário do quinto Rio-São Paulo

Aniversário do quinto Rio-São Paulo

Pesquisa de Guilherme Guarche e Gabriel Santana

Os 70.729 pagantes naquela noite de quinta-feira, 6 de fevereiro de 1997, no Maracanã, quase todos torcedores do Flamengo, já se assanhavam com a perspectiva de o time, com seu badalado ataque formado por Romário e Sávio, conquistar o Torneio Rio-São Paulo. A partida caminhava para o final e o rubro-negro vencia o Santos por 2 a 1, de virada, com dois gols de Romário ainda no primeiro tempo (Anderson Lima, cobrando falta, tinha aberto o marcador para o Santos).

O Alvinegro Praiano passou a atacar mais, mas as chances eram escassas. Até que aos 32 minutos o lateral-esquerdo Juari, que entrara no lugar de Rogério Seves, acertou um daqueles chutes perfeitos. Forte, com destino certo, o petardo balançou o travessão do goleiro Zé Carlos e foi morrer no fundo do gol flamenguista.

Como o Santos já vencera a partida de ida por 2 a 1, o empate de 2 a 2 deu ao Alvinegro Praiano o seu quinto título do Rio-São Paulo, um recorde àquela altura. A conquista foi muito festejada, pois desde o Campeonato Paulista de 1984 o Santos não ganhava um título importante.

O time campeão foi assim escalado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo: Zetti, Anderson Lima (depois Baiano), Sandro, Ronaldão e Rogério Seves (Juari); Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Caíco) e Piá; Macedo e Alessandro.

Os artilheiros santistas naquele Rio-São Paulo foram: Alessandro, com três gols; Macedo, com dois; Carlinhos, Vagner, Baiano, Robert, Marcos Assunção, Anderson Lima e Juari, com um gol cada. Para chegar ao título o Santos fez seis partidas, vencendo duas, empatando três e perdendo uma; marcando 12 e sofrendo 10 gols.

Curiosidade: Nessa conquista, um detalhe do uniforme santista chamou a atenção dos torcedores: em algumas partidas os calções foram pretos, salpicados de grandes estrelas brancas.