Alex, o zagueiro artilheiro do Santos 

Guilherme Guarche, Centro de Memória 

Nascido em uma quinta-feira, dia 17 de junho de 1982, na cidade de Niterói que foi a capital fluminense até a fusão entre o Rio de Janeiro e Guanabara, distante 15 km da cidade do Rio de Janeiro, o menino Alex Rodrigo Dias da Costa, consagrado mundialmente como um dos melhores zagueiros que o futebol brasileiro produziu.

Alex, que ganhou no Santos o apelido de Canhão da Vila, devido a forte potência de seu chute com a perna direita, foi contratado pelo Santos em 2001, com 18 anos quando jogava nas categorias de base do Juventus da capital paulista e foi em um dos treinos da equipe Sub-20 no CT Rei Pelé que o olhar clínico do técnico Emerson Leão descobriu e promoveu o zagueiro para o time principal santista.

Após ter na zaga uma dupla como Odvan e Cléber, que não corresponderam a expectativa da torcida praiana, o técnico Leão resolveu investir no jovem zagueiro, aproveitado durante o Campeonato Brasileiro de 2002 ao lado de André Luís. Os dois formaram uma dupla de respeito que ganhou da imprensa esportiva o apelido de “Torres Gêmeas”.

Sua primeira partida pelo Alvinegro ocorreu no dia 25 de agosto de 2002, no Estádio do Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, no empate em 1 a 1, entre o Santos e o Fluminense, com o tento santista sendo marcado por Diego Ribas. O treinador Leão mandou a campo naquele dia a seguinte formação: Júlio Sérgio, Alex, André Luís e Preto; Elano (Maurinho), Paulo Almeida, Renato, Diego (Wellington) e Léo; Robinho e Alberto (William).

Dessa data em diante, Alex assumiu a posição como titular e não mais a deixou até sair do Peixe no ano de 2004. Alto (1,88 e 92 kg) Alex se impunha pela força e pela disposição dentro das quatro linhas. Ágil e rápido, era um zagueiro leal e disciplinado, pois dificilmente tomava cartão amarelo, sempre jogando limpo e desarmando com classe.

No Campeonato Brasileiro ele fez parte ativamente do time que ficou conhecido como “Meninos da Vila”, segunda versão, e que deu ao Santos o seu sétimo nacional. Já no ano seguinte, foi a temporada em que Alex mais jogou e muitos gols marcou, ao todo foram 60 partidas e 15 gols marcados.

O Peixe nesse ano conquistou o vice-campeonato brasileiro e foi também vice-campeão da Taça Libertadores da América. Seu futebol e suas cobranças de falta, principalmente, o levaram a Seleção Brasileira, onde disputou a Copa de Ouro da Concacaf, pelo time sub-23, torneio foi reconhecido pela FIFA como um torneio internacional.

Em 2004 ajudou o Peixe a conquistar seu oitavo título nacional e suas atuações acabaram despertando o interesse de clubes europeus, sendo contratado pelo Chelsea da Inglaterra, em 2005. Antes disso ganhou A Bola de Prata da Revista Placar nos anos de 2002 e 2003.

No período em que esteve defendendo as cores Alvinegras, Alex jogou entre os anos de 2002 e 2004 exatas 103 partidas marcando 20 gols. Ele é o maior zagueiro artilheiro santista.

No clube inglês teve problemas com o seu visto e acabou sendo emprestado para o PSV Eindhoven, onde se destacou e ganhou vários títulos e convocações para o Selecionado Nacional. Em 2007 saiu do clube holandês e voltou para o Chelsea. 

Na Europa, Alex consolidou sua carreira de sucesso, e só atuou em gigantes do futebol europeu. Além do PSV, ele fez carreira no Chelsea/ING, PSG/FRA e Milan/ITA.

Em maio de 2016, ele rescindiu seu contrato com Milan, e retornou ao Brasil. Em recuperação, ficou alguns meses treinando no CT Rei Pelé, quando o Santos demonstrou interesse em contratá-lo, porém devido a uma grave lesão no joelho, na qual ele precisaria de nova cirurgia no joelho direito, com previsão de recuperação em nove meses, o retorno não se concretizou.

Títulos ganhos na carreira:                

Santos: Campeão Brasileiro em 2002 e 2004.

Nos clubes europeus:                                                         

PSV Eindhoven: Copa dos Países Baixos no Chelse e Eredivisie: 2004-2005, 2005-2006 e 2006-2007.

Chelsea: Copa da Inglaterra, Supercopa da Inglaterra, Premier Ligue e Liga dos Campões da UEFA.

Paris Saint-Germain: Supercopa da França e Copa da Liga Francesa.

Seleção Brasileira: Copa América em 2007.

Alex aos 34 anos de idade decidiu pela aposentadoria definitiva do futebol e fixou residência em Santos morando em um belo prédio na avenida praiana no charmoso bairro do Gonzaga.