A vitória do Brasil sobre a Alemanha com 8 jogadores do Santos

[:pb]

Por Gabriel Pierin, do Centro de Memória

No dia 5 de maio de 1963, o Brasil bateu a Alemanha Ocidental por 2 a 1, no Estádio Volkspark, em Hamburgo. O amistoso garantiu a primeira vitória da Seleção Brasileira contra os alemães, que contou com nada menos do que oito jogadores do Santos entre seus titulares.

Gylmar, Lima, Zito, Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe atuaram os 90 minutos ao lado de Eduardo (Corinthians), Roberto Dias (São Paulo) e Rildo (Botafogo). O número de santistas naquela partida poderia ter sido ainda maior, mas o zagueiro Mauro estava contundido e teve que ficar de fora.

Com a prestigiada Seleção Brasileira, bicampeã mundial de futebol, a Confederação Brasileira de Desportos (CBD, atual CBF) organizou uma extensa excursão pela Europa. Foram sete jogos em 22 dias, em diversas cidades europeias: Lisboa, Bruxelas, Paris, Amsterdã, Hamburgo, Londres e Milão.

O início da campanha no exterior foi desastroso. A Seleção só conquistou uma vitória nas quatro primeiras partidas, perdendo as outras três. O mais preocupante é que a quinta partida seria contra a Alemanha Ocidental, que já se preparava para a Copa de 1966, na Inglaterra (na qual só perderia a polêmica final, para os ingleses). Parte da imprensa temia um novo fracasso dos brasileiros: “Derrotar a Alemanha, dentro da sua fortaleza inexpugnável que é o velho Volkspark Stadion, poderá parecer a muita gente façanha impossível por causa do penoso estado em que se encontra a nossa indigente e desnorteada seleção”, publicou o carioca Jornal dos Sports, em sua edição de 5 de maio de 1963.

Diante desse cenário o técnico Aymoré Moreira resolveu apelar para o entrosamento dos santistas. Com oito jogadores do Peixe no time, o treinador brasileiro sabia que tinha muito mais chances diante da forte seleção alemã.

Mais de 72 mil pessoas lotaram as arquibancadas do estádio, gerando a expressiva renda de 163 milhões de cruzeiros. Escalada pelo técnico Sepp Herberger, a Alemanha Ocidental se apresentou com Fahrian, Nowak, Schnellinger, Shulz e Wilden, Werner, Heiss e Schutz, Uwe Seeler, Konietzka (depois Strehl) e Dorfel.

O jogo, arbitrado pelo suíço Gottfried Dienst, começou às 12 horas, pelo horário de Brasília. Os donos da casa abriram o placar aos 44 minutos da primeira etapa. O volante Zito derrubou Konietzka dentro da área e o zagueiro Werner converteu em gol. No segundo tempo, a maravilhosa dupla Coutinho-Pelé entrou em ação. Aos 25 minutos, os dois tabelaram e Coutinho ficou livre para empatar a partida. Dois minutos depois, em jogada iniciada por Coutinho, Pelé entrou na área adversária e marcou o gol da virada brasileira. O jogo prosseguiu bem disputado até o final, com mais chances de gol para os alemães, mas o Brasil resistiu e conseguiu a vitória mais significativa daquela excursão.

O primeiro triunfo dos brasileiros sobre os alemães teve imensa contribuição do Alvinegro Praiano (os alemães haviam vencido o único confronto entre os países, disputado nas Olimpíadas de 1952, na Finlândia), provando que o time do Santos na década de 60 era mesmo uma Seleção.

SeleSantos

Durante dez anos não houve uma só partida da Seleção principal do Brasil que não contasse com mais de um titular santista. Nesse período, a Seleção fez nada menos de 35 partidas com, no mínimo, cinco titulares do Santos: foram 16 jogos com cinco santistas; 12 com seis; dois com sete e cinco jogos com oito titulares – entre estes a histórica vitória sobre a Alemanha Ocidental, há 59 anos.[:]