A história é cíclica

A história é cíclica

Por: Odir Cunha

Pode perceber que a história do futebol pode dar muitas voltas, mas em determinado momento chega a uma mesma situação anterior. Foi assim em 2003, por exemplo, quando o Santos disputava a final da Copa Libertadores com o Boca Juniors e, se vencesse, jogaria a decisão do Mundial com o Milan, em um roteiro idêntico ao de exatos 40 anos atrás. Pois bem. Essa última rodada do Brasileiro coloca o Alvinegro Praiano em uma situação similar à de quatro anos atrás, também no Nordeste.

O Santos enfrentará o Sport na Ilha do Retiro, em Recife, e as circunstâncias lembram 2014. Naquela oportunidade o Santos tinha 50 pontos ganhos, estava no meio da tabela, como agora, e jogava contra uma equipe nordestina. O Vitória precisava desesperadamente dos três pontos para se manter na Série A, mesma situação vivida este ano pelo Sport.

Em 2014, como se sabe, o Santos conseguiu uma de suas poucas vitórias fora de casa, com um gol solitário de Thiago Ribeiro aos 49 minutos do segundo tempo. A derrota rebaixou o Vitória e salvou o Palmeiras, que no mesmo dia empatou com o Atlético Paranaense, por 1 a 1, em São Paulo. Ficou famosa a cena dos palmeirenses, ainda no estádio, acompanhando, aflitos, os últimos minutos da partida em Salvador e a explosão provocada pelo gol santista. Se o gol fosse do time baiano, o alviverde paulistano teria amargado o seu terceiro rebaixamento.

No próximo domingo um triunfo sobre o desfalcado Santos poderá salvar o Sport e rebaixar outro grande do futebol brasileiro, no caso o Vasco. Se o time carioca perder para o Ceará, em Fortaleza, poderá ser ultrapassado pelo Sport no número de vitórias. Será, enfim, uma rodada tensa…

Mas vamos, agora, às estatísticas de Santos e Sport, pesquisadas com esmero e trazidas a nós pelo nosso Centro de Memória, representado por Guilherme Guarche, Gabriel Santana e Gabriel Pierin:

No geral, o Santos já enfrentou o Sport 46 vezes, com 20 vitórias, 11 derrotas e 15 empates; 70 gols marcados e 48 sofridos. Pelo Campeonato Brasileiro já se enfrentaram 39 vezes, com  17 vitórias santistas, 10 do Sport e 12 empates; 57 gols do Santos e 38 do Sport.

Quando se fala em jogos no campo do Sport, porém, a tendência muda e mostra uma pequena vantagem do time pernambucano. Lá já se enfrentaram 23 vezes. O Santos venceu seis, perdeu oito e empatou nove, marcou 25 gols e sofreu 29.

Se separarmos apenas os 18 jogos na Ilha do Retiro válidos pelo Campeonato Brasileiro, teremos cinco vitórias santistas, sete derrotas e seis empates; 19 gols do Santos e 23 do Sport. Portanto, que se espere um jogo difícil e brigado, como foi a partida contra o Vitória, há quatro anos.

Artilheiros santistas do confronto
1 – Coutinho, 5 gols.
2 – Gabriel e Guga, 4 gols.
4 – Kléber Pereira e Viola,  3 gols.

Primeira partida da história
Santos 4 x 3 Sport
30 de dezembro de 1941
Amistoso na Vila Belmiro
Santos Futebol Clube: José, Neves e Ayala; Figueira, Elesbão e Grardim; Armandinho, Zoca, Carabina, Antoninho e Ruy. Técnico: Dario Letona.
Sport Club do Recife: Manezinho; Rubens e Zago; Pitola, Furlan e Bibi; Novomanuel, Ademir, Pirombá, Magri e Djalma.
Gols: Carabina (2), Antoninho e Ruy para o Santos; Pirombá (3) para o Sport.
Curiosidade: O autor dos 3 gols do time do Sport foi João Silva, o Pirombá, que também jogou pelo Santos no período de 1943/44 e depois em 1946/1947, marcando 36 gols pelo Peixe.