Memória: Há 44 anos, o Santos FC recebia a “fita azul do futebol brasileiro”

Memória: Há 44 anos, o Santos FC recebia a “fita azul do futebol brasileiro”

No dia 11 de julho de 1972, o Santos FC realizava a última partida de uma longa excursão ao exterior, vencendo a equipe do América do México pelo placar de 4 a 2, jogando no Memorial Colyseum, em Los Angeles, nos Estados Unidos, com gols assinalados por Pelé (2), Alcindo e Léo Oliveira. Formando o Peixe, que trouxe para a Vila Belmiro o troféu Independência: Cejas (Cláudio); Orlando, Vicente, Paulo e Zé Carlos (Turcão); Léo Oliveira e Nenê; Jader (Afonsinho), Alcindo (Adílson), Pelé e Edu.

O técnico era Jair Rosa Pinto. Essa extensa jornada fora do país deu ao time santista “A fita azul do futebol brasileiro”. já que o clube permaneceu invicto nas 17 partidas disputadas em gramados estrangeiros, vencendo 15 e empatando duas partidas, marcando 67 e sofrendo 21 gols com os seguintes artilheiros na exaustiva turnê: Pelé (25), Alcindo (13), Nenê Belarmino (8), Edu (7), Jader (4), Léo Oliveira e Orlando (3), Adílson (2) e Zé Carlos e Afonsinho com um gol cada.

A Fita Azul era uma espécie de medalha de “Honra ao Mérito” entregue aos times brasileiros que retornavam invictos do exterior, era dada a princípio pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos) e depois pelo jornal “A Gazeta Esportiva”. No Brasil além do Santos, outros outro times também foram agraciados com essa honraria, com destaque para outro clube da cidade de Santos, a Portuguesa Santista que no ano de 1959 excursionou pela África do Sul e venceu todas as 15 partidas que disputou.

Curiosidade:

O time santista jogou nessa excursão em três continentes diferentes, na Ásia: (Japão, China (Hong-Kong), Coreia do Sul, Tailândia e Indonésia), na América do Norte (Canadá e Estados Unidos) e no continente da Oceania onde o Peixe se apresentou pela primeira vez em sua história jogando na cidade de Sidney. Ao todo nesse continente o Santos está invicto, pois nas duas partidas lá disputadas empatou uma e venceu outra no ano de 1973.

Guilherme Guarche

Coordenador do Centro de Memória e Estatística do

Santos Futebol Clube