Santos FC: 105 Anos de um passado e um presente só de glórias

Santos FC: 105 Anos de um passado e um presente só de glórias

No dia 14 de abril de 1912 o Santos FC era fundado por iniciativa de três esportistas da cidade: Francisco Raymundo Marques, Mário Ferraz de Campos e Argemiro de Souza Júnior, os quais convidaram a todos os interessados em participar da reunião inaugural do novo clube, que foi constituído para ser um clube destinado à prática do futebol, que no começo do século passado estava engatinhando no Brasil.

A reunião histórica aconteceu na tarde de um domingo, na sede do Clube Concórdia, na antiga rua do Rosário, nº 18 (hoje Rua João Pessoa, 8/10), na parte superior da padaria A Suissa no centro antigo de Santos. São considerados como sócios-fundadores todos os 39 participantes dessa reunião.

O nome da entidade foi sugerido por Edmundo Jorge de Araújo: Santos Foot-Ball Club. As cores dos uniformes da nova agremiação, que seria presidida em seu primeiro ano de existência por Sizino Patusca, eram o azul e o branco, com fios dourados entre elas. As cores do clube, por sugestão de Paulo Peluccio, passaram a ser calção branco e camisa listrada em branco e preto no ano seguinte. O Conselho Deliberativo do clube teve início no dia 28 de janeiro de 1932 e seu primeiro presidente foi Flamínio Levy.

A praça de esportes localizada no bairro de Vila Belmiro em Santos foi comprada e construída com recursos próprios do clube no ano de 1916 e no ano de 1933 recebeu o nome do seu maior abnegado Urbano Caldeira. O primeiro torcedor fanático do clube praiano chamava-se Henrique Leite Ribeiro o popular “Coalhada”. Foi ele que no dia da primeira partida no novo campo no dia 22 de outubro de 1916, organizou uma grande festa em alguns bondes levando vários torcedores santistas com uma pequena banda tocando desde o bairro até o centro da cidade com muita alegria e festa.

Outro torcedor símbolo que amava muito o Santos FC se chamava Salustiano da Costa Júnior, o Salu da bandinha, era ele que em jogos o campo santista liderava a pequena charanga que tocava o tempo todo incentivando o time da Vila Belmiro. Ele trabalha como motorista da extinta Casa Rosário uma funerária e quando ia ao campo ajudar nos treinamentos já que era também massagista do clube, nas imediações do estádio ele deixava dentro do carro fúnebre algum falecido e só o levava para o velório quando o treino terminava. Salu é até hoje lembrando por todos os torcedores do Alvinegro.

O primeiro título importante conquistado pelo Santos FC foi no ano de 1935 quando então se sagrou campeão paulista vencendo o Corinthians no seu campo por 2 a 0. Até hoje o clube conquistou 20 campeonatos paulistas, 8 campeonatos brasileiros, 1 copa conmembol, 2 recopas sulamericanas, 1 recopa mundial, 5 torneios Rio-São Paulo, 3 libertadores da América e 2 títulos mundiais e vários outros títulos não só no Brasil como em todo o mundo.

foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Foi eleito pela FIFA como o Melhor time do século nas Américas. Da Vila Belmiro no ano de 1956 saiu conquistar o título de Rei do futebol e de Atleta do Século, Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé tricampeão mundial com a seleção brasileira e artilheiro com mais de 1282 gols. O clube também revelou para o mundo a “joia” Neymar Jr. que hoje encanta com seu talento os gramados europeus além do “Rei das Pedaladas” de nome Robinho que hoje veste a camisa santista. Um dos grandes méritos da gente santista é saber que o clube sempre serviu de base à Seleção Brasileira principalmente na copas de 1958/1962 e 1970.

No dia posterior a fundação o jornal Diário de Santos publicava em sua primeira página a seguinte manchete:

SPORTS

Fundou-se hontem nesta cidade, sob os melhores auspicios o Santos Foot-ball Club com o elevado numero de 146 socios.
A reunião de fundação desse club sportivo effectuou-se na sede do Club Concordia tendo começado as 2 horas da tarde com a presença de muitas sócios.
Depois de escolhido o titulo acima, passou-se a eleição da nova directoria, que deu o seguinte resultado.
Presidente, Sizino Patusca; vice-presidente, George Cox; 1º secretario, José G. Martins; 2º secretario, Raul Dantas; 1º thesoureiro, Leonel Silva; 2º thesoureiro, Dario Frota.
Directores: Augusto Bulle, João Carlos de Mello, Henrique Tross, Raymundo Marques, Cicero F. da Silva e Jonnas de C. Pacheco.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística