De modalidades diferentes, atletas do Peixe se encontram e lutam por sonhos longe de casa

De modalidades diferentes, atletas do Peixe se encontram e lutam por sonhos longe de casa

Fotos: Ivan Storti/SantosFC

Viver longe de seu país não é nada fácil. Mesmo assim, milhões de pessoas saem de sua nação em busca da realização de sonhos. No Santos FC isso não é diferente. Com jogadores estrangeiros no elenco, o Peixe agora também conta com atletas de outros países no time de handebol. Vindas da Argentina e Colômbia, as atletas Noelia Sala e Luísa Pineda, respectivamente e conheceram seus conterrâneos Vecchio e Copete nesta sexta-feira no CT Rei Pelé.

Em parceria com o CEPE (Clube dos Empregados da Petrobras) e FUPES (Fundação Pró-Esporte de Santos), o Santos FC possui uma equipe de handebol feminino desde janeiro. Goleira do Peixe, a jovem de 23 anos, Luísa Pineda, conta o motivo de ter saído da Colômbia para jogar no Brasil.

“Quis vir para o Brasil pelo nível do handebol. Os times aqui são fortes e mais velozes. Estou muito feliz em defender o Santos FC e conhecer mais colombianos. É muito legal ver que o Santos FC acolhe várias pessoas de países sul-americanos”, disse a atleta natural de Medellin.

Companheira de Luísa, a argentina Noelia Sala, saiu de Buenos Aires pelo mesmo motivo da colombiana. Feliz por fazer parte do Alvinegro Praiano, a armadora de 28 anos também demonstrou alegria ao conhecer seu conterrâneo Vecchio e o atacante Copete.

“Eu senti muita felicidade em encontrar um colega do meu país. Eu jogo handebol, ele (Vecchio) futebol, mas estamos defendendo o mesmo time. Isso é muito legal. É bom conhecer alguém do mesmo país que está correndo atrás de seu sonho”, comentou.

Atletas "gringos" se conhecem no CT Rei Pelé. Crédito: Ivan Storti
Atletas “gringos” se conhecem no CT Rei Pelé. Crédito: Ivan Storti

Natural de Rosário, na Argentina, o meia Vecchio veio para o Brasil pelo mesmo motivo de Luísa e Noelia. Segundo o jogador, o Brasil é dos melhores países para a prática do futebol.

“Já joguei na Espanha, Chile, Qatar e Brasil. Esta é a segunda passagem. Eu gosto muito do Brasil. Nas nossas carreiras, precisamos sempre fazer boas escolhes e, por isso, eu escolhi o Brasil. A liga de futebol daqui é uma das mais importantes do mundo”.

Também recém-chegado, o colombiano Copete demonstrou muita felicidade em conhecer as atletas do handebol santista. Na visão do atacante, este encontro foi muito importante para ele e para o clube.

“Jogar no Brasil é um sonho de infância para mim. Sempre vi os brasileiros jogando e queria participar deste espetáculo. Estou feliz por fazer parte disso. Estou feliz também por conhecer Luísa e Noelia. É muito importante encontrar essas pessoas boas e honestas do lugar de onde viemos. Faremos o melhor para colocar o Santos FC em primeiro lugar nas duas modalidades”, disse o jovem natural da cidade de Cali.