Atletas do Goalball do Santos FC/LMC conquistam o bronze na Paralimpíada Rio 2016

Atletas do Goalball do Santos FC/LMC conquistam o bronze na Paralimpíada Rio 2016
(Fotos: CBDV/Divulgação)

Os atletas Leomon Moreno e Romário Diego Marques, que fazem parte da equipe de goalball do Santos FC/Lar das Moças Cegas, conquistaram o bronze na Paralimpíada Rio 2016. Leomon foi o artilheiro do Brasil, com 27 gols em sete jogos e foi o grande destaque da vitória brasileira.

A Seleção Masculina venceu a Suécia com golden goal na prorrogação. O jogo foi emocionante. No tempo normal, empate em 5 a 5. Leomon estava na reserva e entrou para comandar a virada brasileira. O adversário abriu 4 a 0 logo nos primeiros minutos. A igualdade em 4 a 4 aconteceu com um gol do atleta do Peixe, que também marcou o quinto e sexto decisivo tento.

goalball-selecao-feminina

Seleção Feminina

A Seleção Feminina de goalball do Brasil ficou com o quarto lugar na competição, com a vitória dos Estados Unidos pro 3 a 2. As jogadoras Ana Carolina Duarte Ruas Custódio, que marcou um dos gols, e Neusimar Clemente dos Santos, também fazem parte da equipe de goalball do Santos FC/Lar das Moças Cegas.

História

Desenvolvido especificamente para deficientes visuais, o Goalball é o único esporte paralímpico não adaptado. Foi criado em 1946, pelo austríaco Hanz Lorezen e o alemão Sepp Reindle, que tinham como objetivo reabilitar e socializar os veteranos da Segunda Guerra Mundial que ficaram cegos.

Durante os Jogos de Toronto (1976), a modalidade foi apresentada como um esporte de alto rendimento. Um salto de grande importância, que rendeu a oportunidade de entrar de vez na grade de programação paralímpica nos Jogos de Arnhem (1980) com a categoria masculina. A disputa feminina entrou quatro anos depois na edição de Nova York (1984). Dois anos antes, em 1982, a modalidade passou a ser gerenciada pela Federação Internacional de Esportes para Cegos (IBSA – sigla em inglês).

Em 1985, o professor Steven Dubner, do CADEVI, entidade de atendimento às pessoas cegas de São Paulo, apresentou a modalidade no Brasil. Entusiasmado, o professor Mário Sérgio Fontes levou para a ADEVIPAR, do Paraná. No mesmo ano realizaram o primeiro jogo entre duas associações. Dois anos depois, em Uberlândia, Minas Gerais, aconteceu o primeiro campeonato brasileiro, sob a supervisão do professor Mário Sérgio, presidente da antiga ABDC (Associação Brasileira de Desportos para Cegos). Desde 2010, a modalidade é administrada pela CBDV.

Força Paralímpica

O Brasil é uma das grandes forças da modalidade. No entanto, a primeira participação brasileira em Jogos Paralímpicos aconteceu em Atenas (2004), com as equipe feminina. A partir daquele momento o esporte não parou de crescer no país, e as seleções foram ficando cada vez mais fortes. Nos Jogos Paralímpicos de Pequim (2008), as seleções masculina e feminina representaram o Brasil. Mas o país começou a se tornar uma das grandes potencias no ciclo 2009/2012. Durante os Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara (2011) foram duas medalhas conquistadas – ouro no masculino e prata no feminino. Um ano depois o ponto mais alto do Goalball brasileiro. O time masculino conquistou a inédita medalha de prata nos Jogos Paralímpicos de Londres (2012).

De lá pra cá o Brasil coleciona excelentes resultados. Em 2014, na cidade de Espoo, Finlândia, a seleção masculina conquistou o título inédito do Campeonato Mundial ao vencer os donos da casa por 9 a 1. Nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto (2015), o Brasil foi campeão nas duas categorias, em duelos contra os Estados Unidos. Com as seguidas conquistas o país atingiu a liderança do Ranking Mundial nas duas categorias.

Como é praticado

Uma partida de Goalball acontece entre em duas equipes com três atletas cada com o objetivo de fazer gols. Durante o jogo os atletas têm a função de arremessar e defender. A bola arremessada deve tocar em determinadas áreas da quadra para que o lance seja considerado válido.

Onde acontecem os jogos

O esporte é praticado em uma quadra com as mesmas dimensões da quadra de vôlei (9m de largura e 18m de comprimento). De cada lado da quadra tem uma baliza de 9m de largura e 1,3m de altura. A linha do gol e algumas outras importantes para a orientação dos jogadores são marcadas por um barbante preso com fita adesiva, permitindo que os atletas possam senti-las.

A bola

A bola usada para a prática do esporte é parecida com a de basquete. Ela pesa 1,250kg e possui guizos em seu interior para que os jogadores saibam a sua direção.

É importante ter silêncio

O Goalball é um esporte baseado na percepção tátil e, principalmente auditiva, por isso não pode haver barulho enquanto a bola está em jogo.

Tempo de jogo

Uma partida tem dois tempos de 12 minutos cada e vence aquela que fizer mais gols. No entanto, o jogo pode ser encerrado a qualquer momento caso uma equipe alcance a diferença de dez gols no placar. Essa situação é chamada de game.

Quem pode praticar

É permitida a participação de todo atleta B1, B2 e B3. E todos jogam vendados para ficarem em igualdade durante a partida.