RESENHA: O cabelo “engraçado” de David Braz