Após 17 anos, Alison se despede do Santos FC: “Aqui é minha casa e meu coração fica”

Após 17 anos, Alison se despede do Santos FC: “Aqui é minha casa e meu coração fica”

Após uma vida dedicada ao Santos FC, Alison acertou sua transferência para o Al-Hazem, da Arábia Saudita, nesta sexta-feira (13). Criado nas categorias de base, o volante deixa o clube após exatos 17 anos defendendo o Manto Sagrado. Em visita ao CT Rei Pelé para se despedir dos companheiros e funcionários, o atleta ganhou uma placa das mãos do técnico Fernando Diniz, do executivo de futebol André Mazzuco e do membro do Comitê de Gestão Vitor Sion.

“Eu saio daqui uma pessoa muito melhor. Cheguei aqui uma criança, e estou saindo um homem formado, um pai de família. Sou muito grato por tudo que o Santos FC fez por mim. Me formou como atleta e como pessoa. Me deu todo o suporte que eu sempre precisei. Sou muito grato por tudo. Hoje eu saio com um sentimento de que valeu a pena acreditar sempre, mesmo quando as coisas estavam difíceis. O que mais conquistei de importante aqui foi o carinho e o respeito de todos, e isso eu não troco por nada”, afirmou o agora ex-jogador do Peixe.

Alison se despediu do elenco do Santos FC na tarde desta sexta-feira (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)

Menino da Vila, Alison chegou ao Santos FC em 2005, com apenas 11 anos. E após passar por todas as categorias de base, o atleta precisou mostrar, logo em sua estreia como profissional, em 2011, que sua carreira seria feita por superações no clube.

Com menos de um minuto de jogo, na vitória por 1 a 0 do Peixe sobre o Cruzeiro, na Vila Belmiro, o volante caiu sozinho no gramado e rompeu os ligamentos do joelho. Em uma atividade da transição, Alison voltou a romper os ligamentos e só voltou a entrar em campo quase dois anos depois, em 2013.

“Se eu tivesse que escolher uma palavra para resumir tudo que passei, com certeza essa palavra seria superação. Na minha estreia ter uma lesão tão grave gerou um momento de muita incerteza para mim. Ninguém me conhecia, ninguém sabia do meu potencial, então foi um momento muito difícil. Mas no final acabou dando certo. Tive mais do que a metade da minha vida foi dedicada ao Santos FC. Muitos momentos bons e outros ruins. De onde eu saí, com a idade que saí, eu contrariei estatística. São 17 anos dentro de um clube enorme, sendo 10 anos no profissional. A sabe o quanto é difícil chegar aqui. Fico muito honrado por tudo que vivi”, disse, emocionado, o atleta.

Ao todo, Alison atuou em 265 jogos e anotou quatro gols com a camisa do Santos FC. No período, o jogador esteve presente no elenco santista nos títulos do Paulistão em 2015 e 2016. Após altos e baixos, sendo emprestado ao Red Bull Brasil e superando outras lesões, o camisa 5 se firmou como titular absoluto e capitão da equipe na última temporada, chegando até a final da Conmebol Libertadores.

“Eu estou indo para um desafio novo. Acho que preciso desse desafio na minha carreira. Foi muito difícil tomar essa decisão, muito difícil mesmo. Contei com o apoio da minha família, e após conversar com eles, a gente chegou num consenso de que precisávamos disso. Estou indo, mas meu coração fica. Independentemente de onde eu estiver, estarei sempre torcendo pelo Santos FC. Meu coração sempre vai estar aqui. Aqui é a minha casa”, ressaltou o Menino da Vila.

Presidente Andres Rueda agradeceu a garra de Alison vestindo a camisa do Peixe (Foto: Reprodução/ Santos FC)

Por fim, o capitão santista aproveitou para agradecer todo o apoio que teve durante os 17 anos vestindo o Manto Sagrado do Santos FC. Na visita para se despedir dos companheiros e funcionários, o Menino da Vila também entregou uma placa para o clube que o revelou.

“Queria agradecer a cada um dos companheiros que já passaram por aqui, todas as comissões técnicas, todos os funcionários do clube. Tenho certeza que aprendi um pouco com cada um de vocês. Agradecer também a torcida do Santos FC, que me abraçou de uma forma surreal. Desde o primeiro jogo eu pude sentir esse carinho que vocês tinham comigo. Obrigado por todo apoio. Peço desculpa também pelos meus erros. Todas as vezes que eu errei foi por excesso de vontade, por querer ajudar demais. Mas podem ter certeza que toda vez que eu entrei no CT e na Vila Belmiro eu dei o melhor melhor. Obrigado por tudo”, concluiu.

O Santos FC agradece os 17 anos em que Alison honrou, respeitou e deixou tudo dentro de campo quando entrava vestindo o Manto Sagrado.

“Alison sempre foi um exemplo de garra, de superação no elenco, comprometido com o time, com o Clube. Chegou a hora dele seguir sua trajetória e deixará aqui boas lembranças para a torcida. Boa sorte no seu futuro”, disse o presidente do Peixe, Andres Rueda.

Obrigado, Alison!