O volante Dema completa 62 anos

O volante Dema completa 62 anos

Por Guilherme Guarche do Centro de Memória

O ex-volante Gallo, que jogou no meio campo santista nos anos de 1992 a 1996, treinou o time da Vila Belmiro em 41 partidas no ano de 2005 e não esconde de ninguém sua admiração pelo futebol do também ex-volante Dema. “Foi um dos melhores volantes que eu vi jogar. Está na minha seleção”.

Waldemar Barbosa, ou simplesmente Dema, nasceu na cidade paulista de Olímpia, também conhecida como a “Capital Nacional do Folclore”, no dia 22 de fevereiro de 1959, um domingo.

Contratado junto ao Comercial de Campo Grande/MS ele fez sua estreia no time santista no dia 19 de janeiro de 1983, em partida amistosa na Vila Belmiro, vencida pelo Santos pelo placar de 2 a 0 diante do América/RJ, com gols de João Paulo e Pita. O Peixe foi escalado por Chico Formiga com: Ademir Maria, Toninho Oliveira, Joãozinho, Márcio Rossini e Gilberto Sorriso; Dema, Paulo Isidoro e Pita; Camargo, Serginho Chulapa e João Paulo (Toninho Vieira).

Nessa partida vestiram também a camisa do Peixe pela primeira vez os jogadores Paulo Isidoro, Camargo e Serginho Chulapa. Era o início de uma fase nova no clube que tinha na retaguarda diretiva de Mílton Teixeira, que muito investiu no Alvinegro Praiano.

O médio-volante Dema foi aos poucos ganhando a confiança do técnico Chico Formiga, e em pouco tempo na equipe, assumiu a condição de titular da icônica camisa cinco que um dia foi vestida por José Ely Miranda, o Zito, e por Clodoaldo Tavares Santana.

Ela era um exímio marcador e desarmava os adversários sem cometer faltas. Tinha qualidade e sabia como poucos volantes sair jogando de cabeça erguida. Junto com Paulo Isidoro e Pita, Dema formou um dos melhores meios de campo do Santos.

Quando o time de Vila Belmiro chegou às finais do Campeonato Brasileiro de 1983 Dema foi um dos grandes destaques da equipe, mas sua única conquista importante com a camisa santista veio no ano seguinte quando ajudou o time do artilheiro Chulapa a se sagrar Campeão Paulista pela 15ª vez, depois de uma angustiante espera de seis anos.

Naquela memorável final do Paulista em 1984, o Santos venceu o Corinthians Paulista pelo placar de 1 a 0 com Serginho Chulapa marcando o tento que deu o título. O Peixe formou com: Rodolfo Rodriguez, Chiquinho, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Toninho Oliveira (Gilberto Sorriso); Dema, Paulo Isidoro e Humberto; Lino, Serginho Chulapa e Zé Sérgio (Mário Sérgio). Técnico Chico Formiga.

Seu desempenho e suas boas atuações pelo Santos o levaram a defender a Seleção Brasileira em quatro oportunidades no ano de 1985: foram três vitórias e um empate. Ganhou merecidamente por duas vezes o Prêmio da Bola de Prata, da Revista Placar, e foi eleito o melhor médio-volante dos Campeonatos Brasileiros de 1983 e 1985.

A última vez em que atuou pelo Campeão da Técnica e da Disciplina foi no dia 14 de maio de 1987, em partida válida pelo Campeonato Paulista, no Estádio José Quirino Moraes, em Novo Horizonte, interior de São Paulo.

Nesse jogo de despedida do craque Dema, que no ano anterior ficou afastado da equipe devido a uma séria contusão no joelho, o Santos, que empatou em 0 a 0 com a equipe do GE Novo Horizonte, formou com: Rodolfo Rodriguez, Ijui, Nildo, Toninho Carlos e Claudinho; César Sampaio, Dema (Solano), Osvaldo e Mendonça; Carlos Alberto Silva e Arizinho (Osmarzinho). O técnico era Candinho.

Titulos conquistados no Santos:

1983 – Torneio Vencedores da América / Uruguai – Torneio Cidade de Pamplona / Espanha – 1984 – Torneio Início da FPF – Taça dos Invictos (Gazeta Esportiva) nova série (15 partidas). Campeão Paulista – 1985 – Copa Kirin / Japão

Com a camisa santista Dema jogou exatas 150 partidas, entre os anos de 1983 e 1987, e marcou apenas um gol pelo Peixe. Em 1987 deixou a Vila Belmiro, foi jogar na Portuguesa Santista e despediu-se do futebol profissional em definitivo jogando na equipe potiguar do América de Natal, no ano de 1991.

Nos dias atuais Dema, que é casado com dona Solange, tem os filhos Rafael, Mayara e Luana e os netos Yuri, Nicolas, Rafaela e Guilherme. Ele reside no bairro da Vila Formosa, na Zona Leste da capital paulista e, sempre que sobra um tempo, costuma vir a Santos assistir na padoca A Santista, as partidas do seu Santos, sempre na companhia do seu grande amigo e fiel escudeiro, Jamil Mohamed Bovassi.