O Gênio da Área

O Gênio da Área

Por Guilherme Guarche, do Centro de Memória
Colaboração de Wesley Miranda, da Assophis

Se estivesse vivo Antônio Wilson Honório, o Coutinho, estaria completando hoje, dia 11 de junho, 78 anos. Natural de Piracicaba, o mais jovem jogador a atuar nos profissionais do Santos com apenas 14 anos 11 meses e seis dias, atuou no Peixe de 1958 a 1970, sendo que em 1968 foi emprestado ao Vitória e em 1969 para a Portuguesa.

Foram 475 partidas, anotando 368 gols. Muitos desses gols saíram com a sua maior marca: a frieza na finalização. Exímio goleador, Coutinho não se afobava na hora de colocar a bola no fundo do barbante, o que lhe rendeu a alcunha de Gênio da Área. Naquele lugar seu desempenho era maior até que do seu parceiro/irmão Pelé!

A maior dupla da história do futebol

Dizem que Pelé era mais Pelé ao lado de Coutinho, e que Coutinho era mais Coutinho ao lado de Pelé. O Rei do futebol reconhece que boa parte de seus gols saíam das assistências do parceiro, que tinha uma visão diferenciada sobre ser centroavante. Para o Coutinho, o camisa nove é o pivô do time e o trabalho era dar assistência para quem vinha de trás. Com isso, “nasceu” as famosas mundialmente tabelinhas Pelé/Coutinho.

Mas a bem da verdade, Coutinho tem números expressivos na artilharia do Santos FC, ficando atrás apenas de Pelé e Pepe. A falta de registro de gol de Coutinho em bola parada (pênalti ou falta) pesa a favor da memória do maior nove do mundo; como define Milton Neves.

Coutinho na Seleção

Inscrito na Copa do Mundo 1962 com a camisa 9, Coutinho não pode entrar em campo depois de uma contusão na preparação da Seleção em um amistoso contra o Pais de Gales. Coutinho jamais se esqueceu de Hopkis e sempre se queixou de ter que atuar em um jogo desnecessário que lhe tirou a oportunidade de jogar uma Copa no ápice de sua carreira.

No escrete canarinho, foram 15 jogos e seis gols de 1960 a 1965.

O Técnico Coutinho

Coutinho também foi técnico do Santos em 1981 e interinamente em 1995. Sob o comando dele foram 17 jogos, com cinco vitórias, sete empates e cinco derrotas.

Coutinho faleceu aos 75 anos, em 11 de março de 2019, devido a complicações da diabetes e do Mal de Alzheimer, deixando uma enorme saudade em seus fãs.