Medalhista de ouro em Tóquio com o goalball, Leomon Moreno recebe homenagem do Santos FC

Medalhista de ouro em Tóquio com o goalball, Leomon Moreno recebe homenagem do Santos FC

Ele entrou para a história do esporte brasileiro com a seleção de goalball, nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Titular da equipe e um dos melhores do mundo, Leomon Moreno foi um dos responsáveis pela conquista da inédita medalha de ouro para o país. E para homenagear o jogador do Santos FC/Lar das Moças Cegas, o presidente Andres Rueda entregou uma camisa personalizada com a número 4, além de produtos licenciados do Clube. Ele esteve na Vila Belmiro acompanhado da esposa Milena, que também é jogadora do LMC, e da comissão técnica da entidade.

“É uma emoção muito grande. Passa pela cabeça tudo de importante que já vive dentro do Clube, com o nosso Alvinegro Praiano. O que o Santos FC proporciona me deixa muito mais tranquilo para trabalhar dentro de quadra e chegar a essas conquistas, como o ouro paralímpico”, afirmou emocionado o atleta santista.

Leomon ainda destacou a importância do apoio do Clube ao esporte. “É um referência mundial, porque é um dos poucos clubes que apoia esporte paralímpico e uma modalidade relativamente nova. O Santos FC dá essa oportunidade para a gente mostrar o nosso trabalho. Estar em um clube de tamanha expressão é muito gratificante”.

 

“Talento e perseverança ele tem ao extremo. Com certeza será novamente escolhido como melhor do mundo. Ele nos deixa felizes e orgulhos por fazer parte da família santista. É a realização de um trabalho coroado com o ouro. O Leomon é um grande exemplo que as dificuldades que a vida pode proporcionar não são obstáculos intransponíveis”, afirmou o presidente Andres Rueda.

A seleção brasileira conquistou o lugar mais alto do pódio, na sexta-feira (03), ao vencer a China por 7 a 2. Leomon fez três gols na final. A campanha do Brasil teve seis vitórias e apenas uma derrota.

Leomon Moreno da Silva tem 28 anos, nasceu em Brasília (DF) e joga como ala na classe B1. Ele perdeu a visão quando ainda era um bebê, por conta de uma retinose pigmentar. O atleta conheceu a modalidade por meio dos irmãos, que já praticavam o esporte e possuem a mesma doença que ele. As principais conquistas são: bicampeão nos Jogos ParapanAmericanos (Lima 2019 e Toronto 2015); bicampeão mundial (Malmö 2018 e Finlândia 2014); bronze nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; prata nos Jogos Paralímpicos Londres 2012.

Em 2014 foi eleito, por voto popular, o melhor paratleta brasileiro e recebeu o Prêmio Paralímpicos, concedido pelo Ministério do Esporte. Em 2018 foi considerado o melhor jogador do mundo na modalidade. Além disso, foi escolhido como porta-bandeira pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para a cerimônia de abertura dos Jogos Parapan-Americanos de 2019 em Lima, no Peru.

“Agora é degrau por degrau. A Santos FC/Lar das Moças Cegas tem o Campeonato Paulista, tem o Nacional. A gente precisa se dedicar ao máximo nos nossos treinamentos, para também ter as conquistas no país. E assim levar o nome do Santos FC aos lugares mais altos do pódio”, disse o camisa 4.