Kaiky revela ‘canseira’ que sentiu na altitude e agradece parceria de Luan Peres no Santos FC: “Sou fã”

Kaiky revela ‘canseira’ que sentiu na altitude e agradece parceria de Luan Peres no Santos FC: “Sou fã”

Titular absoluto na zaga do Santos FC em 2021, Kaiky vem sendo um dos principais destaques da equipe na temporada. Mostrando muita segurança ao lado de Luan Peres, o jovem de 17 anos ajudou o Peixe a passar os últimos dois jogos (contra São Bento e Boca Juniors, respectivamente) sem ser vazado.

Promovido ao time profissional no fim de fevereiro, Kaiky já atuou 15 vezes com a camisa do Santos FC. Desses jogos, 14 foram ao lado de Luan no comando da zaga santista. Com a dupla vivendo boa fase, o Menino da Vila agradeceu a parceria e destacou a importância do experiente companheiro de defesa.

“Essa sequência sem ser vazado é motivo para comemoração, sim. Não só eu e o Luan, mas todos estão de parabéns, porque o sistema defensivo começa lá na frente. Agora eu e o Luan conversamos bastante no dia dia sobre posicionamento no campo, etc. Fizemos poucos jogos juntos até o momento, mas estamos nos entrosando cada vez mais e espero que a gente continue crescendo. Assim que cheguei no profissional ele (Luan) foi um cara que me ajudou muito, me dá muitos toques importantes. Sou fã dele como jogador e como pessoa”, afirmou Kaiky.

Com o Menino da Vila à disposição, o Peixe visita o The Strongest na próxima terça-feira (18), às 19h15 (de Brasília), no estádio Hernando Siles, em La Paz, pela 5ª rodada da fase de grupos da Conmebol Libertadores. Na segunda colocação do grupo C, com seis pontos, o Santos FC precisa da vitória para ficar mais próximo da classificação para as oitavas de final do torneio continental.

E para alcançar o triunfo, os santistas também precisarão encarar os 3.640 metros de altitude da capital boliviana. Mesmo com apenas 17 anos, Kaiky já teve uma experiência com altitude. Em 2015, o zagueiro atuou nos 2.250 metros acima do nível do mar na Cidade do México. O jovem admitiu a dificuldade na respiração e acredita que o Peixe precisa ser ‘cirúrgico’ para sair de La Paz com os três pontos.

“Já estive na altitude quando estava com a Seleção Brasileira Sub-15. Fizemos um amistoso em 2018 na Cidade do México. A altitude lá é menor que na Bolívia, mas já foi um pouco complicado, pois o cansaço bate muito rápido. Eu joguei improvisado de lateral naquela ocasião, dei dois piques e já estava ‘morto’. Mas brincadeiras à parte, temos que jogar com inteligência lá. Precisamos ser cirúrgicos para conseguir essa vitória, que será muito importante para seguirmos fortes na briga pela vaga”, concluiu o camisa 28.

(Foto: Ivan Storti/ Santos FC)