Jean Mota relembra triunfo do Santos FC sobre Palmeiras no Allianz em 2017: “Esperamos vencer outra”

Jean Mota relembra triunfo do Santos FC sobre Palmeiras no Allianz em 2017: “Esperamos vencer outra”

O Santos FC já está pronto para o clássico contra o Palmeiras, neste sábado (10), às 16h30, no Allianz Parque, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2021. O Peixe realizou na manhã desta sexta-feira (9), no CT Rei Pelé, o último treino antes do clássico. E o duelo na Capital pode marcar o fim de um pequeno tabu no confronto.

O Alvinegro Praiano não vence o rival no Allianz Parque há quase quatro anos. Na ocasião, em setembro de 2017, Ricardo Oliveira balançou as redes e o Santos FC conseguiu a vitória por 1 a 0. Da equipe que disputou aquele clássico, apenas Alison e Jean Mota seguem no Peixe. O camisa 41, que iniciou a jogada do gol, relembrou o triunfo e espera repetir o feito neste sábado.

“Foi um jogo bem difícil, como todos os clássicos são. O campo estava bastante alagado por conta da chuva e teve até uma pequena polêmica. Roubei a bola do Guerra no meio, onde muitos falaram que foi falta, e puxei o contra-ataque que acabou com o gol do Ricardo Oliveira após cruzamento do Bruno Henrique. Foi uma vitória bem importante naquela ocasião e espero que a gente consiga nosso segundo triunfo lá dentro amanhã. O Santos FC é um clube grande e sempre está brigando por títulos. E quem pensa em conquistar títulos tem que vencer jogos grandes. Conseguimos isso contra o Athletico-PR, mas agora já é outra decisão e vamos buscar essa vitória”, afirmou Jean Mota.

Em 2017, Jean Mota (dir) iniciou a jogada do gol de Ricardo Oliveira na vitória sobre o Palmeiras (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)

Titular absoluto do Santos FC nos últimos 18 jogos, Jean assumiu o posto de segundo homem do meio de campo, na frente do volante Camacho, e vem sendo um dos destaques da equipe. O meia comemorou o bom momento e agradeceu a sequência na equipe comandada por Fernando Diniz.

“É uma posição onde estou me sentindo muito bem e venho desempenhando um bom futebol. Não estava acostumado a jogar como segundo homem no meio, mas me adaptei rápido. Tanto o Marcelo Fernandes, que me colocou nessa posição pela primeira vez lá em Bragança, quanto Diniz, têm me dado muito respaldo para atuar por ali. O professor está me passando muita confiança, vem dando muitos toques sobre posicionamento e fico feliz em ver que estou evoluindo”, concluiu o camisa 41.

(Foto: Ivan Storti/ Santos FC)