A tarde que consagrou o garoto Moraes no Santos

A tarde que consagrou o garoto Moraes no Santos

Por Guilherme Guarche, Centro de Memória

Com um público de 59 063 espectadores e renda de R$ 1.028.550,00, o Estádio do Morumbi foi o palco da decisão do Campeonato Paulista do ano de 2007. E nesse domingo de outono, 6 de maio de 2007, o Santos ganhava o seu 17º título regional.

Na realidade esse foi o quinto bicampeonato vencido pelo Alvinegro, pois como tinha ganhado o torneio no anterior a conquista teve um sabor especial para os santistas. O time dirigido por Vanderlei Luxemburgo venceu a equipe do forte São Caetano pelo placar de 2 a 0 com gols de Adailton e Moraes.

O Santos Bicampeão formou com Fábio Costa, Maldonado, Adailton, Ávalos e Kléber; Rodrigo Souto, Cléber Santana (Carlinhos), Pedrinho (Rodrigo Tabata) e Zé Roberto; Jonas (Moraes) e Marco Aurélio. A equipe do ABC foi a vencedora do Campeonato Paulista de 2004 e era uma equipe muito bem preparada e difícil de ser batida.

Essa conquista que deu o Bicampeonato ao time da Vila Belmiro foi muita comemorada no estádio da capital paulista já que na primeira partida da decisão final o time da Vila tinha perdido pelo placar de 2 a 0 e precisava reverter esse resultado.

O gol do zagueiro Adailton saiu aos 25 minutos da etapa inicial, após cobrança de escanteio. O primeiro tempo terminou com esse placar, mas era preciso marcar mais um gol. Os experientes Zé Roberto e Jonas tentaram de todas as maneiras balançar as redes adversária, mas o resultado continuou com a vitória magra.

No segundo tempo, o sofrimento aumentou e o jogo caminhava para o fim quando o técnico Luxemburgo, ousadamente, tirou Jonas e colocou em seu lugar Moraes em campo. E o menino, com a proteção dos deuses do futebol, correu, lutou, não fugiu da bola, e a recompensa veio aos 36 minutos, quando Moraes aproveitou um cruzamento de Kléber vindo do lado direito da defesa do São Caetano cabeceou com força mandando a bola para a meta defendida pelo goleiro Luiz Silva.

E de repente das arquibancadas veio em uníssono um grito em um só coro: “Vamos ser Bi Santos! ”. Era a coração de uma campanha vencida pelo Alvinegro mais famoso do mundo. Muita festa no estádio do time tricolor, muita festa em São Paulo, muita festa em Santos e em todo o Brasil. O Santos era Bicampeão Paulista com méritos.

Campanha no campeonato

O Alvinegro jogou 23 partidas, obtendo 17 vitórias, quatro empates e duas derrotas. Marcou 47 gols e sofreu outros 21. Os atletas que jogaram e marcaram gols na conquista foram: Cléber Santana (11), Marcos Aurélio (6), Rodrigo Tabata e Jonas (4), Zé Roberto e Rodrigo Tiuí (3), Fabiano, Pedro, Carlinhos e Moraes (2), Pedrinho, Kléber, Ávalos, Marcelo, Antônio Carlos, Renatinho, Domingos e Adailton, um gol cada.

O predestinado Moraes, filho do Aluísio Guerreiro

O jovem herói da conquista, Aluísio Chaves Ribeiro Moraes Júnior, ou simplesmente Moraes, foi criado na base do Santos e jogou no Peixe em 2007 e 2008. Marcou três gols em 25 partidas.

Ele é filho do ex-centroavante Aluísio Guerreiro e irmão de outro jogador que atuou com Robinho e Diego nos Meninos da Vila de 2002: Bruno Moraes, jogador do Santos em 2002 e 2003, campeão europeu pelo Porto em 2003/2004.