Zito, nosso ídolo eterno e capitão, ganha estátua em frente a Vila Belmiro

Zito, nosso ídolo eterno e capitão, ganha estátua em frente a Vila Belmiro

O ídolo eterno e capitão Zito ganhou uma homenagem à altura da sua grandeza. Uma estátua que retrata a liderança que teve durante toda a carreira, dentro e fora de campo, está eternizada em frente a Vila Belmiro. A obra é uma parceria do Santos FC com a Prefeitura Municipal de Santos e foi esculpida pelo artista plástico Luis Garcia Jorge. Veja aqui as fotos do evento.

Nascido em 8 de agosto de 1932, na cidade de Roseira, interior de São Paulo, José Ely Miranda, o Zito, começou a carreira no Taubaté. Chegou a Vila Belmiro no ano de 1952 e tornou-se um dos jogadores mais completos da história do futebol. Líder nato, em seu primeiro título com a camisa santista, o Campeonato Paulista de 1955, mesmo com pouca idade, já era um dos mais influentes do elenco.

Além de ser um exímio marcador, Zito também tinha uma enorme qualidade com as bolas nos pés. É o volante que mais balançou as redes pelo Santos FC. A liderança dentro de campo certamente foi o seu maior legado. Muitas das grandes goleadas aplicadas pela equipe nas décadas de 1950 e 1960, se deve a ele, pois era um motivador incansável, e não deixava a equipe se acomodar mesmo ganhando com certa facilidade.

É o maior capitão que o Santos FC já teve em sua história e o “Z”, na atual braçadeira do Santos FC, se faz justiça. O Eterno “Gerente” também fez grande sucesso na Seleção Brasileira, onde começou a trajetória em 1955 e tornou-se imprescindível nas conquistas das Copas do Mundo de 1958 e 1962.

Pelo Santos FC conquistou 22 títulos oficiais. Sem contar os inúmeros torneios amistosos. Entrou em campo com a imaculada camisa branca por 727 vezes, tornando-se o 3º jogador que mais atuou pelo Santos FC, ficando atrás apenas de Pelé e Pepe. É um dos poucos jogadores que possui 4 títulos mundiais no currículo, sendo 2 pelo Santos FC e 2 pela Seleção Brasileira. Encerrou sua carreira em 1967, após permanecer por 15 anos defendendo as cores do Santos FC.

Ao se aposentar, não se desligou do Clube, e por diversas vezes, teve cargos influentes dentro da diretoria do Santos FC. Foi ele o responsável pelas descobertas dos jovens Robinho e Neymar. Zito faleceu no dia 14 de junho de 2015, em Santos.

(Fotos: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)