Série “Nossos Meninos”: Meia do Sub-20, Giovane se inspira em Lucas Lima e G10

Série “Nossos Meninos”: Meia do Sub-20, Giovane se inspira em Lucas Lima e G10

Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC

Tímido, sereno e focado. Estes três adjetivos acompanham o meia Giovane desde que ele era apenas uma criança em Limeira, sua cidade natal, no interior de São Paulo. Nas categorias de formação do Santos FC desde 2011, o garoto, que tem a pronuncia do nome igual à de um ídolo santista, só pensa em ficar marcado na história do time de sua infância.

Apaixonado por bola, Giovane entrou na Escolinha de Futebol dos Metalúrgicos de Limeira aos cinco anos de idade. Após permanecer lá até os dez anos, o aspirante a jogador passou um ano no Red Bull Brasil antes de vir para o Santos FC.

“Minha mãe (Maria Luzia da Silva de Jesus) diz que desde que eu estava na barriga dela ela já sabia que eu seria jogador de futebol. Ela fala que eu chutava muito na gestação. Eu fui crescendo assistindo futebol com meu pai (Jorge Mario de Jesus) e comecei a pedir para jogar. Foi aí que entrei na escolinha da minha cidade e de lá consegui passar em um teste no Red Bull. Fiquei um ano jogando até aparecer a oportunidade de uma avaliação no Santos FC”, comentou.

Em dezembro de 2010, Giovane passou por uma bateria de avaliações na base do Peixe e, após uma semana de testes, o garoto teve a confirmação que em fevereiro do ano seguinte treinaria oficialmente com os Meninos da Vila.

Giovane em ação pelo Sub-13 no Campeonato Paulista de 2011 (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC)
Giovane em ação pelo Sub-13 no Campeonato Paulista de 2011 (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC)

“Eu conheci meus empresários na época que estava no Red Bull. Eles me viram jogando e conseguiram uma avaliação no Santos FC para mim. Lembro até hoje. O professor Ballio (auxiliar técnico do Sub-20) que me selecionou e aprovou minha chegada. Fiquei muito feliz, não dá para explicar o que senti. Sempre sonhei em jogar no Santos FC por ser santista desde pequeno”, comentou.

Torcedor do Peixe por fruto da conquista do Campeonato Brasileiro de 2002, Giovane também já sentiu o gosto de levantar troféus com a camisa do Alvinegro Praiano. Nestes seis anos da base santista, o meia conquistou o Encontro de Futebol Infantil Pan-americano Sub-14, em Alegrete (RS), o Torneio Internacional de Tóquio (JAP) Sub-14, ambos em 2013, e o Campeonato Paulista Sub-17 em 2014. Além disso, Giovane foi convocado para Seleção Brasileira Sub-15 em 2012.

“O que alimentou a minha paixão pelo Santos FC foi o título de 2002. Eu era bem novo, mas ficou marcado para mim. Até meu irmão, Luiz,é santista por causa disso. Sobre jogar aqui, eu só tenho a agradecer. Aprendi muitas coisas, mudou minha vida. Cresci muito. Tudo o que tenho hoje é graças a Deus e ao Santos FC. Sou grato pelo clube que me abriu as portas e me deu oportunidade de aprender a jogar como um Menino da Vila, com alegria, disposição, raça e vontade”.

Fora de campo Giovane também aprendeu coisas valiosas. Mostrando maturidade, o atleta cuida de sua saúde como algo prioritário na vida.

Giovane joga pelo Sub-20 no CT Rei Pelé (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC)
Giovane, atualmente, pelo Sub-20 no CT Rei Pelé (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC)

“Sou uma pessoa tranquila, não sou de sair muito. Gosto de curtir a família, jogar videogame. As vezes saio com a minha mãe para ir ao shopping e à igreja. Também gosto de me cuidar. Não bebo e tomo muito cuidado com minha saúde. Dependo do meu corpo para atuar em alto nível”, comentou.

Sobre referência e futuro, Giovane ressalta o foco no sonho de ser jogador da equipe principal do Peixe e a sua admiração por Lucas Lima e Giovanni, eterno ídolo santista.

“Gosto muito do estilo de jogo do Lucas Lima. Me inspiro nele, ainda mais por ele jogar aqui. Também pesquisei sobre o Giovanni, pois, eu sempre acompanhei a história do Santos FC. Não posso me comparar a ele, mas quero fazer história como ele. Sonho em jogar no profissional do Santos FC, me firmar e vencer Libertadores, Mundial e Brasileiro. Quero conquistar tudo o que for possível. Também quero jogar uma Copa do Mundo e, depois que me aposentar, me formar em educação física para aprofundar na área esportiva”, revelou.