Santos FC encaminha pedido de direito de resposta à ESPN Brasil

Santos FC encaminha pedido de direito de resposta à ESPN Brasil

O Santos FC encaminhou, por meio de seu Departamento Jurídico, pedido de direito de resposta à ESPN Brasil em razão de matéria publicada no site da referida empresa jornalística, intitulada “Santos anunciou superávit, mas precisou apelar a “pedaladas fiscais”, afim de restabelecer a verdade dos fatos em respeito aos seus sócios, torcedores e comunidade em geral, com o seguinte teor:

CONSIDERANDO a matéria jornalística publicada no sítio da ESPN e referente a Balanço do “último trimestre do clube” com fundamento na disposição da Lei nº 13.118/2015, o Santos Futebol Clube, no mesmo instante que repudia com veemência os termos da publicação, repleta de inverdades e aleivosias, enganos de autoria da suposição dos jornalistas Diego Garcia e Gustavo Dias, reclama o direito de resposta, dentro do prazo legal.

Não há e nem nunca houve, da parte do Santos Futebol Clube, qualquer maquiagem em balanço, nem anotações inverídicas, distorcidas ou de qualquer forma tendente ao engodo do leitor.

A informação de que o balanço estaria “maquiado” não só caracteriza a imposição de fato eventualmente criminoso por parte do Clube e daqueles colaboradores responsáveis técnicos, assim como cria imagem criminosa sobre comportamento da instituição Santos Futebol Clube.

Na mesma banda, salta aos olhos o caráter difamatório da publicação, utilizando-se como base “informações que chegaram a reportagem” sem, contudo, indicar qualquer documento ou prova cabal das afirmações positivadas na referida matéria.

Quando a reportagem diz “a crítica de várias pessoas envolvidas nos bastidores do clube, especialmente agora que a política santista vive momento conturbado por conta da proximidade das eleições” vê-se o caráter meramente difamatório, calunioso e político da reportagem, pois em momento algum o Clube foi procurado por qualquer repórter que seja, para esclarecimento de eventual dúvida.

Ainda, as demonstrações financeiras do trimestre vencido foram encaminhadas ao órgão competente, Conselho Fiscal, autônomo e independente, que ao seu tempo dará manifestação escrita a quem de direito, o Conselho Deliberativo.

Por derradeiro, cumpre esclarecer que todas as demonstrações financeiras do Clube são acompanhadas por auditoria independente, conforme a legislação em vigor.

Finalmente, no instante que ratifica o repúdio que tem pela publicação em questão que, colocou em dúvida a credibilidade, moral, profissionalismo, lisura, transparência e seriedade do Clube ofendido, não se sabe a quem aproveitará a divulgação de notícia tão distorcida da realidade. Daí os motivos pelos quais, nos termos da legislação referida, requeremos o direito resposta no prazo legal, sob pena de serem adotadas as medidas judiciais cabíveis.