Santistas se enfrentam no Jogo da Amizade entre Brasil e Colômbia, no Rio de Janeiro

Santistas se enfrentam no Jogo da Amizade entre Brasil e Colômbia, no Rio de Janeiro

Crédito da foto: Ivan Storti/Divulgação Santos FC

Jonathan Copete e Vladimir Hernández foram convocados pelo técnico José Pekerman para defenderem a Colômbia no Jogo da Amizade, amistoso contra o Brasil que será disputado a partir das 21h45 de quarta-feira (25), no Estádio Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ). Dispensados do treino de domingo (22), ambos já viajaram para a capital carioca.

Esta e a segunda vez que o atacante Jonathan Copete é convocado pelo técnico Pekerman para defender a Seleção Colombiana. Na primeira ocasião, o camisa 36 foi chamado para dois confrontos vaílidos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo Fifa Rússia 2018. Ele ficou no banco de reservas contra o Chile e entrou no segundo tempo da partida contra a Argentina. Os jogos aconteceram em novembro de 2016.

Copete chegou ao Santos FC em junho de 2016 e assinou contrato válido até junho de 2020. Em pouco tempo, logo conquistou a torcida santista com gols e assistências. Em 32 jogos com a camisa do Santos FC, foi às redes em 12 oportunidades, com seis passes para gol.

O meia-atacante Vladimir Hernández também na lista de Pekerman, está acertado com o Santos FC desde outubro de 2016 e se apresentou no Centro de Treinamento Rei Pelé para a pré-temporada 2017 no dia 11 de janeiro com os demais atletas do elenco. Ainda sem visto de trabalho no Brasil, ele aguarda assinatura de contrato e apresentação oficial no Peixe.

Outro santista que participa do Jogo da Amizade entre Brasil e Colômbia é o meia Lucas Lima, que mais uma vez figura na convocação do técnico Tite. Ele treina normalmente com o Santos FC até terça-feira (24), quando, à noite, segue para o Rio de Janeiro (RJ) para se juntar aos demais brasileiros convocados para o amistoso.

Toda a renda do Jogo da Amizade será destinada aos familiares das vítimas da tragédia com o voo que levava a Chapecoense para a final da Taça Sul-Americana 2016. 71 pessoas, entre jogadores, comissão técnica, dirigentes, convocados, jornalistas e equipe de voo, faleceram no acidente.