Nota de Esclarecimento

Nota de Esclarecimento

Em razão da publicação da matéria “Pedalada Fiscal’? Santos usou R$ 40 milhões de empresários para poder anunciar superávit na véspera da eleição”, publicada no site ESPN Brasil, no último domingo (27), subscrita pelo jornalista Diego Garcia, cumpre-nos esclarecer o que segue diante das inverdades e erros de informação contidos na referida matéria, em respeito aos sócios, torcedores e comunidade alvinegra:

O Santos FC reitera mais uma vez que não há e nem nunca houve qualquer maquiagem ou “pedalada” nos balanços apresentados pelo clube. Os documentos são elaborados com base nas normas contábeis vigentes, auditados por empresas independentes e colocados à apreciação dos órgãos internos responsáveis pela aprovação dos documentos. No que se refere ao último balanço encaminhado, referente ao terceiro trimestre do ano, o mesmo foi aprovado sem qualquer ressalva.

Portanto, não são medidas oportunistas, “na véspera da eleição”, como tenta induzir o título da referida matéria. Nesse sentido, a suspeita lançada pelo autor não só caracteriza a imposição de fato eventualmente criminoso por parte do Clube e daqueles colaboradores responsáveis técnicos, assim como cria imagem criminosa sobre comportamento da instituição Santos Futebol Clube.

Em relação as dúvidas e ilações lançadas sobre a transação que envolveu o atleta Thiago Maia, deve-se ressaltar que ao Santos FC coube receber, por legítimo direito, 70% do montante pago pelo Lille, da França, sendo que a participação do atleta e a comissão devida ao intermediário da operação transcorreram com base nas legislações vigentes e estão devidamente registradas nos departamentos competentes do clube, dentro do compromisso de transparência adotada pela atual administração.

Lamentamos, assim, que mais uma vez o jornalista Diego Garcia, com a superficialidade e má fé que tem caracterizado suas últimas intervenções – confundindo maliciosamente receita (que produz superávit) com passivos que nada tem a haver com resultados, o que qualquer profissional minimamente isento e responsável saberia distinguir e informar -, tente alterar a verdade dos fatos baseando seu argumento em “informações que chegaram a reportagem”, sem o compromisso de elucidar as questões pertinentes. Outrossim, esclarecemos que o Santos FC já havia ajuizado na última sexta-feira (24), medida judicial criminal contra o autor reportagem por atitude semelhante anteriormente praticada.