Memória: Fã, técnico de combinado italiano pediu para jogadores não baterem no Rei do Futebol

Memória: Fã, técnico de combinado italiano pediu para jogadores não baterem no Rei do Futebol

No dia 24 de setembro de 1969, o Santos FC vencia o combinado UC Sampdoria/Genova CFC pelo placar de 7 a 1 na cidade italiana de Genova no continente europeu. Os gols do Peixe foram marcados por Pelé (2), Nenê, Negreiros, Djalma Dias e Léo Oliveira com um gol cada.

Nessa goleada o Alvinegro formou com Gilmar (Laércio); Lima (Leo Oliveira), Ramos Delgado, Joel Camargo e Turcão; Djalma Dias e Nenê (Negreiros); Manoel Maria, Edu (Douglas), Pelé (Marçal) e Abel. O técnico era Antônio Fernandes, o Antoninho.

Seria essa mais uma das centenas de partidas internacionais disputadas pelo Peixe nas numerosas excursões feitas mundo afora pelo clube praiano e com certeza passaria desapercebida de todos se não fosse por um simples detalhe que a tornou digna de registro pelos jornalistas que lá estavam cobrindo a partida, pois segundo o ex-jogador brasileiro Mazola que virou comentarista esportivo no país italiano que disse que o técnico do combinado falou antes do jogo aos jogadores que não dessem pontapés no Rei Pelé pois ele iria ver o craque santista pela primeira vez ao vivo e por ser fã do melhor jogador do mundo queria curtir e apreciar a genialidade do astro santista na partida. O nome do técnico que tinha o Rei como ídolo era Fúlvio Bernardini.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística