Memória: Santos FC vencia pela 13ª vez o Campeonato Paulista

Memória: Santos FC vencia pela 13ª vez o Campeonato Paulista

No dia 26 de agosto de 1973, o Santos FC vencia pela 13ª vez o Campeonato Paulista, no estádio do Morumbi ao empatar no tempo normal da partida com a equipe da Portuguesa de Desportos pelo placar de 0 a 0 e depois venceu na disputa das penalidades máximas por 2 a 0 formando o time campeão com: Cejas; Zé Carlos, Carlos Alberto, Vicente e Turcão; Clodoaldo e Léo Oliveira; Jair da Costa (Brecha), Eusébio, Pelé e Edu. O técnico era José Macia, o Pepe.

O campeonato teve essa partida final porque o Santos FC sagrou-se campeão do 1º turno e a Lusa do Canindé foi a campeã do 2º turno. Como terminou empatada, a partida teve que ser decidida na cobrança de penais, já que a prorrogação também terminou empatada em 0 a 0. O árbitro Armando Marques errou na contagem das cobranças e quando o placar marcava 2 a 0 para o Santos ele bisonhamente encerrou as cobranças mesmo tendo a Portuguesa mais duas penalidades para bater que se fossem convertidas em gols haveria o empate também nas penalidades, como ele apitou o final, o Santos FC automaticamente comemorou como sendo o campeão paulista. Só que alguém percebeu o erro e avisou o árbitro que mandou chamar as duas equipes ao gramado para completarem as cobranças, só voltou o time santista, já que o time da Portuguesa orientados pelo técnico Oto Glória deixou o Morumbi às pressas entrando no ônibus do clube, sem sequer trocarem de roupas e tomar banho deixando a decisão para a FPF. Após muita discussão nos vestiários, a Federação Paulista de Futebol declarou os dois clubes como campeões paulistas de 1973. Marcaram nas penalidades para o Santos: Carlos Alberto e Edu e Zé Carlos perdeu a cobrança. A renda da partida foi na época recorde de renda (Cr$ 1.502.255,00) e o público total foi de 116.568 espectadores.

Curiosidade

No dia seguinte, a FPF emitiu um comunicado sobre a sua esdrúxula decisão: “A decisão tomada ontem, sem a interferência das associações interessadas, proclama dois campeões. A CBD também validou a decisão. Esse rápido acordo tornou inúteis quaisquer outras deliberações a respeito do que deveria ser feito. De acordo com regras da Fifa, o que poderia ocorrer seria uma nova disputa de pênaltis ou a cobrança apenas das quatro penalidades que ficaram faltando. Ambas as equipes foram declaradas campeãs paulistas de 1973, “pois não houve um terceiro prejudicado”. Quando os jornalistas perguntaram se a torcida não teria sido prejudicada, a resposta do assessor jurídico da federação foi irônica: “Que nada. A torcida até que viu futebol demais pelo preço que pagou.”

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística