Memória: Santos FC vencia o Milan no Maracanã e provocava terceiro jogo pelo Mundial

Memória: Santos FC vencia o Milan no Maracanã e provocava terceiro jogo pelo Mundial

No dia 14 de novembro de 1963 o Santos FC vencia, em noite de fortes emoções, a equipe italiana do Milan pelo placar de 4 a 2 com o entusiasmo do torcedor carioca que proporcionou a renda recorde no Brasil, lotando as dependências do Estádio do Maracanã incentivando e vibrando com o time da Vila Belmiro. Pepe foi o grande condutor da virada santista, marcando dois gols de falta na vitória empolgante na segunda partida da decisão do torneio Mundial Interclubes, provocando a necessidade de mais um jogo, já que na primeira partida jogada em Milão, na Itália, o time italiano houvera vencido pelo placar de 4 a 2. A renda foi de Cr$ 98.065,500,00 e o público foi de 132.728 espectadores.

Os tentos do Peixe foram marcados por Pepe (2), Almir e Lima na noite em que no segundo tempo da partida a chuva caiu impiedosamente sobre a cidade maravilhosa, que viu o Peixe jogar com Gilmar; Ismael, Mauro e Dalmo; Haroldo e Lima; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Almir e Pepe. Técnico Lula. Os jogadores Pelé, Zito e Calvet contundidos não participaram da jornada épica na capital carioca.

O jornal A Tribuna assim descreveu a jornada heroica do onze da Vila:

“A equipe italiana abriu o marcador aos 12 minutos da etapa inicial, numa jogada iniciada pelo avante brasileiro Amarildo que recebeu a bola de Trebbi, o goleiro Gilmar vacilou, Haroldo saltou tarde e Altafini de cabeça acertou a bola que encobriu o arqueiro santista, atingindo o alto das redes.

Quatro minutos depois, Rivera recebeu a bola na intermediária e tentou um lançamento em profundidade para Mora, que penetrou, novamente o zagueiro Haroldo se atrapalhou ao tentar cortar o passe e o ponteiro italiano livre, desviou a bola para o fundo do gol santista, deixando triste a grande torcida presente no maior estádio do mundo.

Na etapa complementar veio a reação fulminante e emocionante santista que teve início logo após a falta cometida por Maldini em Coutinho, nas proximidades da área do time italiano e o ponta-esquerda, Pepe, com o coração na ponta da chuteira atirou um petardo forte, indefensável, longe do alcance do goleiro Ghezzi.

Na sequência, quatro minutos depois, o lateral Dalmo Gaspar dominou o italiano Mora no seu flanco e lançou para a área, entraram Mengálvio, que tocou ligeiramente de cabeça e Almir que completou o lance golpeando no canto esquerdo, enquanto o zagueiro italiano David ainda chegou a tocar na bola, sem contudo evitar o gol de empate do Santos.

A raça dominou o time santista que cresceu em campo e partiu para cima dos italianos e aos 17 minutos, Lima iniciando uma jogada individual, aproximou-se da grande área e arriscou um chute forte, a bola entrou rente ao poste esquerdo para delírio da torcida, que comemorou muito o gol da virada.

Cinco minutos depois o time cresceu em campo e Pepe que recebera uma falta de David, nas proximidades da área voltou a acertar um tiro violento e bem colocado, consolidando a vitória santista marcando o quarto tento do Alvinegro, para alegria da torcida santista que saiu às ruas da cidade para comemorar o grande e emocionante feito santista”.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística