Memória: Praça de esportes do Santos FC passava a se chamar Estádio Urbano Caldeira

Memória: Praça de esportes do Santos FC passava a se chamar Estádio Urbano Caldeira

No dia 24 de março de 1933, por indicação do ex-jogador e diretor do Santos FC de nome Ricardo Pinto de Oliveira, em uma reunião com a presença de toda a diretoria santista da época, ficou decidido que a praça de esportes do clube passasse a partir daquele dia a se chamar Estádio Urbano Caldeira, em reconhecimento e homenagem ao ex-jogador, ex-técnico e também ex-dirigente que houvera falecido no dia 13 daquele mês em curso.

Antes de ter o nome do lendário Urbano Caldeira o campo santista, que também é conhecido como “O Alçapão da Vila”, foi palco de exatas 289 partidas do time praiano que venceu 178 empatou 50 e perdeu 61 partidas com o time marcando 953 e sofrendo 477 gols em seus domínios que é chamado carinhosamente pela gente peixeira de “Vila Belmiro” em alusão ao bairro que o recebeu de braços abertos em 1916.

Curiosidade

O dirigente Ricardo Pinto de Oliveira que sugeriu o nome de Urbano Caldeira ao campo do Santos FC  jogou no Alvinegro 101 partidas e marcou dois gols. Ricardo era irmão de dona Didi, a bordadeira que confeccionou a primeira bandeira do então Santos Foot-Ball Club no início da caminhada do clube. Ele foi também durante muito tempo o titular do Cartório do Registro de Nascimento em Santos.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística